Osteoporose

14 de junho de 2017

A osteoporose é uma doença óssea metabólica e está diretamente relacionada ao avanço da idade, afeta quatro vezes mais as mulheres do que os homens. Por ser uma doença pouco sintomática, seu diagnóstico costuma ser feito tardiamente, após uma fratura, por exemplo.

Os ossos do corpo humano estão em constante processo de renovação: células velhas são destruídas e substituídas por novas, para manter o bom funcionamento do sistema musculoesquelético. Essa remodelação recebe o nome de reabsorção óssea e, geralmente, há um equilíbrio entre o que é destruído e o que é gerado pelo organismo.

Entretanto, em algumas pessoas, esse processo ocorre de forma debilitada e o corpo entra num processo degenerativo, onde há maior perda de massa óssea do que o organismo é capaz de produzir para evitar danos. Com isso, há o desenvolvimento da osteoporose, que causa o aumento da porosidade do osso e faz com que ele fique mais frágil e suscetível a fraturas.

 

Imagem ilustrativa de três corpos, um com a postura reta, o do meio com a postura semi reta e o terceiro semi corcunda já.

Diminuição da estatura provocada pela osteoporose.


 

CAUSAS

A causa da osteoporose é a perda da massa óssea, essa perda ocorre por diversos motivos.

Os motivos são:

  • Degeneração natural: resultado da idade avançada;
  • Mau funcionamento do organismo: ele pode não estar realizando um processo correto de reabsorção óssea;
  • Deficiência de cálcio: o cálcio é um mineral essencial para a formação do osso. Pessoas que não ingerem a quantidade diária recomendada de cálcio têm maiores chances de desenvolver a osteoporose, pois o corpo não está recebendo a matéria necessária para o seu bom funcionamento. Leite e seus derivados são fontes de cálcio;
  • Falta de vitamina D: essa vitamina auxilia na absorção de cálcio pelo organismo e, quando consumida em pouca quantidade, prejudica na formação do osso. A principal fonte de vitamina D é o sol e, por isso, é recomendado que qualquer pessoa se exponha diariamente por, no mínimo, 15 minutos à luz solar (antes das 10h da manhã ou após as 16h da tarde);
  • Menopausa: Após a menopausa, as mulheres têm uma drástica diminuição dos níveis de estrogênio no organismo. Esse hormônio, dentre outra funções, é responsável por retardar a reabsorção óssea e fixar o cálcio no osso, e, quando as mulheres interrompem o ciclo menstrual, o sistema esquelético fica mais vulnerável. Além disso, as mulheres possuem ossos mais finos e fracos do que os homens;
  •  

    Fotografia de uma senhora sorrindo.

    Mulheres são o principal alvo da osteoporose.


     

  • Histórico familiar: A osteoporose não é uma doença hereditária, entretanto um dos fatores genéticos que determina a boa absorção de vitamina D pelo organismo é transmitido de pai para filho e pode determinar o desenvolvimento da doença, pois o corpo terá maior dificuldade para utilizar o cálcio consumido. Por essa razão, é importante ficar atento quanto aos casos de osteoporose na família;
  • Sedentarismo: Pessoas que não tem bons hábitos alimentares e não praticam atividades físicas com frequência possuem um sistema musculoesquelético mais debilitado, pois seu processo de formação foi prejudicado;
  • Má alimentação: O baixo consumo de vitaminas e mineiras, principalmente o cálcio e vitamina D, é fator determinante para a osteoporose;
  • Tabagismo e alcoolismo: essas substâncias prejudicam o estoque de cálcio no corpo humano e no funcionamento das células construtoras dos ossos.

SINAIS E SINTOMAS

Como citado acima, a osteoporose não é uma doença muito alarmante e costuma ser diagnosticada apenas após uma lesão, por conta disso ficar atento aos fatores de riscos é essencial.

Entretanto podem sim existir alguns sinais que acusam o desenvolvimento da doença, como:

  • Dor e sensibilidade nos ossos e nas articulações;
  • Dor lombar e no pescoço, por causa de lesões na coluna;
  • As lesões na coluna também podem causar a curvatura da postura e deixar os ombros “caídos”;

PREVENÇÃO E TRATAMENTO

Pessoas que fazem parte do grupo de risco devem passar frequentemente com o médico para que exames sejam realizados e, caso ocorra a doença, seja diagnosticada o quanto antes.

Não existe uma cura definitiva para a osteoporose, porém existem diversas formas de evitar e tratar doença. As principais medidas são:

  • Alimentação saudável;
  • Tomar sol;
  • Evitar cigarro e álcool;
  • Praticar exercícios físicos (as caminhadas são muito indicadas para o tratamento, pois ajudam na consolidação óssea);
  •  

    Fotografia de um casal de senhores caminhando em um parque.

    Caminhadas são úteis no tratamento da osteoporose.


     

  • Monitorar o peso;
  • Consumir a quantidade diária necessária de cálcio (leite e derivados, vegetais, peixes, frutas secas, etc.) e vitamina D (ovos, salmão, sol);
  • Utilizar palmilhas Pés Sem Dor.

ATUAÇÃO DA PALMILHA PÉS SEM DOR NA OSTEOPOROSE

A osteoporose aumenta a porosidade e faz com que o osso fique mais frágil. Devido a isso, é importante eliminar todos os fatores que possam causar sobrecarga nos pés, tornozelos e joelhos para evitar que alguma lesão aconteça.

As palmilhas Pés Sem Dor auxiliam na correção dos desalinhamentos nos pés, tornozelos e joelhos. Para isso, elas possuem elevações no arco plantar que redistribuem as pressões e promovem o bem estar dos pacientes. Nos casos de osteoporose, elas são essenciais para evitar as lesões causar pelo excesso de carga aplicada em algumas regiões.

 

Imagem ilustrativa representando a estruturas das palmilhas para osteocondrite.

Palmilha Pés Sem Dor para com apoio no arco plantar.