Pé de atleta (frieira)

30 de setembro de 2015

O que é o pé de atleta (frieira)?

O pé de atleta, ou frieira, como é mais conhecido popularmente, é uma infecção fúngica (micose) muito comum que acomete a pele dos pés. Apesar de não representar algo grave na maioria das vezes, a frieira pode ser bastante incômoda.
Esse tipo de micose tende a acometer principalmente as áreas entre os dedos dos pés ou a região abaixo das unhas. No entanto, numa frequência menor, também pode afetar outras partes dos pés, como a sola e o dorso.

Frieira

Sinais e Sintomas

Quem sofre com o pé de atleta, geralmente, apresenta vermelhidão, coceira, rachaduras, queimação e descamação das áreas acometidas. Em alguns casos, também podem surgir bolhas e lesões na pele.

Causas

O pé de atleta é causado por um fungo do gênero Trichophyton, que se “alimenta” de queratina (uma substância abundantemente presente em cabelos, unhas e pele humana). Frieiras são altamente contagiosas e não é necessário ocorrer o contato direto com uma pessoa contaminada para que a infecção seja transmitida: o simples contato com superfícies e objetos contaminados já é o suficiente para que o contágio aconteça. Por isso, é muito importante adotar certas atitudes para evitar a proliferação desse fungo.

Como se prevenir

Prevenção deve ser a palavra-chave quando se trata de frieiras. Separamos para você algumas dicas e cuidados que podem ser facilmente seguidos:
• Enxugue bem os pés, especialmente entre os dedos;
• Evite utilizar meias ou calçados úmidos;
• Sempre que possível, prefira calçados mais abertos e arejados;
• Não compartilhe calçados ou meias;
• Não ande descalço ao frequentar espaços públicos (como piscinas ou vestiários), afinal, a frieira pode ser transmitida por contato indireto;
• Verificar diariamente os pés e os dedos (com o auxílio de um espelho) também é uma boa medida, especialmente para quem tem diabetes e deve adotar uma rotina de cuidados ainda mais intensa.

Tratamento

Como citado acima, a melhor medida é a prevenção, mas, para aqueles que já possuem a frieira, o tratamento deve ser feito o quanto antes, para que os fungos não adquiram uma resistência maior e tornem todo o processo mais dificultoso. Na maioria dos casos, antifúngicos de uso tópico ou oral costumam ser bastante indicados.
Para casos mais graves, onde ocorre a reincidência da frieira ou surgimento de feridas na pele, sugere-se que um acompanhamento com dermatologista seja feito, de modo a sanar o problema da melhor forma.