Pés dormentes

4 de março de 2015

Quem nunca sentiu aquela dormência ou formigamento nas pernas após um longo período na mesma posição?! Essa sensação, chamada parestesia, é muito frequente e acontece porque a condução do nervo responsável pela área afetada está prejudicada. Quando estamos em uma posição prejudicial, alguns vasos sanguíneos e nervos podem ser comprimidos e, após um período sem a irrigação adequada ou sob pressão, a função desses nervos estará prejudicada, causando a dormência ou o formigamento. Porém, essa falta de sensibilidade pode estar relacionada a alguma doença mais grave e que precise de um cuidado específico. Vamos conferir abaixo o que pode estar relecionado a essa sensação.

 

Doenças relacionadas à sensibilidade dos pés e das pernas

Algumas doenças crônicas causam a falta de sensibilidade nos pés e nas pernas, como:

  • Diabetes;
  • Esclerose múltipla;
  • Tumores;
  • Hérnias de disco, que podem comprimir o nervo na altura da coluna e alterar a sensibilidade nos membros inferiores.

Caso essa dormência seja repentina, o quadro pode estar relacionado a alguma coisa mais grave, como um Acidente Vascular Cerebral (AVC / derrame), que, normalmente, está associado à perda motora, nesse caso, o atendimento médico deve ser imediato.

O fator traumático também pode estar relacionado com a perda de sensibilidade. Quando acontece um trauma na coluna que leva a uma lesão nervosa, tanto a sensibilidade quanto o controle motor podem ser afetados abaixo do nível da lesão.

Porém, a doença mais comum relacionada à perda de sensibilidade nos membros inferiores é a diabetes. A diabetes é uma doença crônica silenciosa e muito perigosa, é a principal causa das amputações no Brasil.

Aos poucos, essa doença afeta os nervos e a circulação periférica do corpo, causando a neuropatia periférica, que afeta 26% dos homens e 22,1% das mulheres com diabetes.

pés dormentes insensibilidade neuropatia periferica

1. Neuropatia periférica

 

 

Na diabetes, quando existe a neuropatia, a dormência nos pés aumentará muito o risco de uma úlcera, pois, com a falta da sensibilidade, a pessoa pode ter algum machucado, ou pisar em algo que a machuque, e não vai sentir.

 

pés dormentes insensibilidade pe diabetico

2. Pés sem sensibilidade

 

Avaliação da sensibilidade

Existem vários métodos para a avaliação da condução dos nervos. É possível testar a dor, o tato e os reflexos, e essa avaliação é essencial para saber se algum nervo está comprometido.

 

Pressão plantar

Por ter a sensibilidade comprometida, o diabético não sente o quanto de pressão é exercida em seus pés durante o caminhar, e pode exercer hiperpressões em determinadas regiões dos pés, isso é um dos maiores fatores de predisposição ao surgimento de úlceras de pressão.

 

Palmilhas para diabetes

Para evitar as úlceras de pressão nos pés diabéticos, a Pés Sem Dor oferece um tipo de palmilha que distribui a pressão exercida ao caminhar, fazendo com que não existam pontos de hiperpressão e, dessa forma, prevenindo o aparecimento de úlceras plantares.

pés dormentes palmilhas pés em dor diabetes diabetico

3. Palmilha Pés Sem Dor para pés diabéticos

 

 

CUIDADOS COM SEUS PÉS DIABÉTICOS

  • Examinar os pés diariamente e ver se há bolhas, rachaduras, cortes, pele seca ou vermelhidão.
  • Lavar e hidratar os pés diariamente.
  • Enxugar sempre muito bem entre os dedos.
  • Cortar as unhas do pé regularmente, em linha reta e não muito curtas.
  • Usar sapatos adequados (espaçosos, protegidos e sem costura) e não utilizar o mesmo sapato todo dia. É importante ter dois pares de sapatos.
  • Tratar dos pés com um podólogo.
  • Procurar tratamento com o seu médico se bolhas ou lesões nos pés não cicatrizarem rapidamente.
  • Usar as palmilhas sob medida da Pés Sem Dor.

 

Quer saber mais sobre pés dormentes? Tem alguma dúvida? Escreva para nós!