SÍNDROME DA PERNA CURTA

15 de setembro de 2015

Você já notou que algumas pessoas têm uma perna maior do que a outra? Essa condição é chamada de Síndrome da Perna Curta, ou diferença de membros, e é mais comum do que se imagina (afeta mais de metade da população brasileira).

Diferença de membros

1. Diferença de membros

Entretanto, nem todas as pessoas conseguem ser diagnosticadas, pois diferenças abaixo de 1 cm não costumam causar grandes problemas. Mas, após a descoberta da síndrome, é importante realizar o devido tratamento para evitar dores na coluna, no ombro e nos joelhos.

CAUSAS

A diferença de membros pode ser causada por 3 fatores:

  • Funcional: quando há algum tipo de desalinhamento nos membros inferiores (como o joelho varo e valgo ou problemas no quadril) ou a musculatura é fraca e não consegue instabilizar as articulações.
  • Ambiental: causada, principalmente, pelos desníveis dos terrenos.
  • Estrutural: quando os ossos das pernas possuem tamanhos diferentes. Isso pode ocorrer devido a problemas congênitos (presentes desde o nascimento), doenças degenerativas (artrose), fraturas mal curadas, etc.

CLASSIFICAÇÃO

A classificação da síndrome da perna curta depende do tamanho (em centímetros) da diferença entre os membros. Ela pode ser:

  • Discreta: menor que 3 cm
  • Moderada: entre 3 e 6 cm
  • Grave: maior que 6 cm

COMO A PALMILHA PODE AJUDAR NO TRATAMENTO?

Devido a diferença no tamanho das pernas, o sistema musculoesquelético não consegue funcionar corretamente e acaba sobrecarregando algumas estruturas. Os ossos dos joelhos sofrem uma rotação exagerada, além de haver maior instabilidade na coluna.

As palmilhas Pés Sem Dor corrigem essa diferença por meio de compensações no retropé, o que ajuda a realinhar o corpo, prevenir a progressão dos desalinhamentos e diminuir as dores.

Palmilha Pés Sem Dor

2. Palmilha Pés Sem Dor