Dor no arco do pé

O arco é uma parte essencial no desenvolvimento dos pés, sendo responsável
pela sustentação e distribuição do peso do corpo.  Existem três arcos que são
sustentados por ossos e ligamentos. O arco longitudinal medial, que é
formado pelos ossos calcâneo, tálus, navicular, e 1º e 2º metatarsos, sendo a
principal área de dor e tendo as principais funções; o arco longitudinal lateral,
que é formado pelos ossos calcâneo, cubóide, 3º, 4º e 5º metatarsos;
e o arco transversal é formado pelos ossos cuneiformes medial, intermédio,
lateral e cuboide, sendo a base dos cinco ossos metatarsais. Os arcos
longitudinais medial e lateral correm pelo comprimento do pé, já o arco
transversal corre pela largura do pé.

O movimento e a estabilidade do arco são controlados por dois tipos de
musculaturas: as chamadas intrínsecas e extrínsecas. Os músculos
intrínsecos são aqueles que se originam e inserem no próprio pé, tanto no dorso
quanto na planta. Funcionam, basicamente, para melhorar o alinhamento e
controlar a posição do arco do pé, logo, têm papel fundamental para o equilíbrio
do corpo. Os músculos extrínsecos são aqueles com origem na perna e que
atuam diretamente nos tornozelos e na movimentação dos dedos do pé.

dor no arco do pé

1. Ossos do pé – metatarsos

Dor na região do arco

A dor no arco do pé acontece devido à inflamação dos tecidos no interior do meio do pé, e apesar de ser possível senti-la no arco transversal, é bem mais comum no arco longitudinal medial.

Fatores como sobrepeso, calçados inadequados, atividades físicas de alta intensidade e pés muito cavos ou chatos podem estar relacionados com o desenvolvimento da dor no arco, porém, a principal causa conhecida é a fascite plantar, uma inflamação que ocorre devido a um estresse excessivo na fáscia plantar (que será detalhada mais adiante).

Se nos primeiros passos pela manhã ou após e durante as atividades físicas a pessoa sentir dores fortes na sola do pé, e por vezes no calcanhar, além de sentir rigidez, tensão e queimação na mesma área, esses podem ser sinais claros de fascite plantar, e, consequentemente, das dores no arco.

 

dor no arco pé sola embaixo

2. Dor no arco longitudinal medial

 

Altura do arco e a dor no arco

Como citado anteriormente, as dores acontecem principalmente no arco longitudinal medial, já que ele é o responsável por realizar funções essenciais como absorver e suportar impactos durante as caminhadas. A formação desse arco se dá durante a infância, com variações anatômicas de altura do arco do pé de pessoa para pessoa, que normalmente são hereditárias e podem fazer com que haja uma perda de eficiência do amortecimento e absorção de impacto.

Conhecidas como pé cavo e pé chato, muitas vezes essas variações têm maior probabilidade de proporcionarem dores na região do arco do pé, principalmente o pé chato (plano), que apresenta uma forte diminuição ou até mesmo o desaparecimento do arco longitudinal medial e afeta 14% da população, enquanto que o pé cavo apresenta o oposto, um aumento no arco longitudinal medial. O desgaste por atividades físicas intensas como corridas, longas caminhadas e saltos pode ser responsável pelas dores, que podem aparecer aos poucos ou repentinamente, em casos de distensão ou rompimento de ligamentos.

 

dor no arco do pé cavo chato

3. Pé cavo e pé chato

 

Sobrecarga e a dor no arco

O aparecimento da dor no arco plantar tem grande relação com a sobrecarga. O sobrepeso, por exemplo, é um dos causadores, pois cada quilo a mais no corpo da pessoa pode acabar exercendo uma pressão muito maior sobre o pé. Um dado que comprova esse fato é de que 62,3% dos homens acima de 100kg já sentiram dores nos pés, segundo estudo “Os Pés Brasileiros”, que foi realizado entre fevereiro e março de 2012 e atendeu 26.339 pessoas. No caso das mulheres, apenas 6,9% nunca sentiram essas dores.

O aumento repentino nas atividades físicas e, no caso de atletas, o excesso de treinamento sem orientação também são prejudiciais. Em 34% dos casos em homens, e 28% em mulheres, a dor na sola do pé aconteceu após atividade intensa contínua.

Outro fator importante para ser analisado: os calçados. Eles até parecem inofensivos, mas, se utilizados da forma inadequada, com tamanho desproporcional aos pés, sem nenhum tipo de conforto e qualidade, podem, e muito, afetar a região do arco e causar dor. O correto é que o calçado tenha um maior amortecimento e suporte em sua estrutura, para evitar dores no arco do pé.

 

Principais patologias que causam dor no arco

Fascite plantar

A fascite plantar é uma patologia bem conhecida e considerada a principal causadora de dores no pé, afetando bastante o arco plantar. Essa condição acontece devido a uma inflamação na fáscia plantar, um tecido conjuntivo que começa na base do calcanhar e se estende por toda a planta do pé. Quando essa região é sobrecarregada, a fáscia inflama e causa as tão indesejadas dores.

As inflamações podem estar ligadas a diversos fatores, como pé muito cavo, pé chato, sobrepeso, uso de calçados inadequados e atividades físicas de alta intensidade, como já citado anteriormente. Pessoas que ficam por longos períodos de pé têm mais chance de desenvolver a fascite. Geralmente, as dores são realmente mais agudas em momentos após longos descansos, já que nesse tempo a fáscia plantar tende a ser contraída, e é forçada logo em seguida. Ao ser esticada ao longo do dia, a dor pode desaparecer.

dor arco pé fascite plantar fascia

4. Região da dor na fascite

 

Esporão de calcâneo

O esporão de calcâneo pode ser confundido com a fascite plantar, já que a sobrecarga na região da fáscia pode causar essa patologia, mas é importante saber como elas estão relacionadas.

O esporão de calcâneo nada mais é do que uma espícula óssea que cresce no osso do calcanhar, geralmente devido a um deslocamento acentuado da fáscia. Somente 5% dos casos apresentam sintomas, portanto, não é sempre uma causa de dor. As dores, na realidade, podem vir de outras doenças, sejam elas vasculares, nervosas, reumáticas ou de inflamação. De qualquer forma, quando são sentidas, atingem principalmente o arco do pé.

 

dor arco pé esporao calcaneo calcanhar

5. Esporão de calcâneo

 

Insuficiência do tendão tibial posterior (arco desabado)

Em casos de inflamação no tendão tibial posterior, a dor no arco do pé pode ocorrer. A princípio, começa com uma tendinite no tendão tibial posterior, uma lesão também causada pelo esforço e futura inflamação. Sabe quando a gente fica na ponta dos pés ou inverte os pés para dentro? É nesses momentos que o tendão tibial posterior é usado, músculo que fica na parte de trás da perna e ajuda a manter o arco do pé, além de fornecer suporte ao caminhar.

Esforços exercidos excessivamente, desgaste do tendão, falta de força e, principalmente, pés muito pronados (como na imagem abaixo), são algumas das causas dessa tendinite, que, quando não é tratada rapidamente, pode causar a chamada insuficiência do tendão tibial posterior, resultando em arcos desabados e possíveis dores no arco do pé.

dor arco pé pronado pronação

6. Pés pronados

 

dor arco pé tendão tibial posterior

7. Tendão do tibial posterior

 

O tratamento da dor no arco

A partir do momento em que a pessoa sente dores na região do arco do pé, é importante consultar um médico especializado no assunto para dar um diagnóstico completo. Além disso, eles é que irão indicar se há a necessidade de sessões de fisioterapia, exames de imagem, uso de medicamentos, correção de variações no arco, afastamento temporário de atividades físicas e, em raros casos, cirurgia. Mas, alguns conselhos básicos podem ajudar a aliviar e evitar esse tipo de dor. Seguem alguns deles:

  • Alongamento: alongar os pés e a parte de trás da perna (panturrilha) pode ser uma boa saída para evitar as dores no arco e sentir-se melhor. Entre as principais dicas estão: congelar uma garrafinha de água e rolar o pé sobre ela três vezes por minuto, e também puxar a ponta do pé, seja com a mão ou pressionando o pé contra a parede ou com uma toalha, como nas imagens a seguir:
dor no arco exercicio alongamento

8. Exercício com garrafa de água gelada para dor no arco

 

dor arco exercicio alongamento

9. Exercícios para alívio da dor no arco

 

  • Usar calçados adequados: os calçados precisam ser readequados para o pé de cada pessoa, com tamanho correto, maior amortecimento, suporte e conforto. Para mulheres, outra indicação é não utilizar salto alto por muito tempo.

 

  • Fazer compressas de gelo: as compressas de gelo podem ser aplicadas no local da dor no arco por no máximo 20 minutos, podendo aliviar bastante a região.

 

  • Manter-se no peso ideal: saber o seu peso ideal e mantê-lo se torna essencial, já que o sobrepeso pode aumentar a carga e causar dor no arco. Um dos cálculos para saber se está abaixo ou acima do peso pode ser feito através do Índice de Massa Corporal (IMC), desenvolvido pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

  • Readaptar a prática esportiva: para realizar atividades físicas, é necessário estar sempre utilizando calçados confortáveis e tomar cuidado com o desgaste excessivo de um dia para o outro, já que a musculatura do pé pode não estar preparada para o início abrupto de alguma atividade.

 

  • Usar palmilhas Pés Sem dor: feitas sob medida, as palmilhas podem ajustar certas alterações biomecânicas, responsáveis pelo aparecimento de uma fascite plantar. Além disso, melhoram o amortecimento do pé.

 

Como a palmilha Pés Sem Dor atua na dor no arco

A palmilha Pés Sem Dor consegue dar suporte ao arco plantar, de forma que a sobrecarga sobre ela seja retirada a cada passo. Em casos de pé cavos as funções são outras, já que ela aumenta a área de contato e melhora o amortecimento do pé, e em casos de pé chato e chamado de hiperpronado, a palmilha consegue de uma forma mais eficaz alongar a fáscia e ao menos aliviar os sintomas.

dor arco pé palmilha arco plantar alto baixo

10. Palmilha com apoio de arco plantar alto ou baixo

 

dor arco pé amortecedor sola

11. Palmilha com amortecedor em toda sola do pé