GARANTIMOS A SUA SATISFAÇÃO OU O SEU DINHEIRO DE VOLTA!

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 

 

 

Selecione o problema:

O pé diabético

- o que é
- causas
- como tratar


diabetes afeta aproximadamente 18 milhões de latino-americanos e deve aumentar em 65% nos próximos 20 anos. A diabetes é classificada em dois tipos diferentes: Tipo 1 e Tipo 2. O tipo 1 é geralmente associado a diabetes juvenil ou insulino-dependente e muitas vezes hereditária. O tipo 2, referido como diabetes Mellitus, é caracterizado por elevados níveis de açúcar no sangue. A diabetes Mellitus é geralmente encontrada em pessoas que estão acima do peso ou que não têm uma dieta controlada. Alguns problemas resultantes da diabetes: danos no sistema vascular, afetando áreas do corpo como os olhos, rins, pernas e pés. Pessoas com diabetes devem prestar atenção especial a seus pés.

Neuropatia

25% dos diabéticos desenvolverão problemas resultantes da doença. De 5 a 10% dos pacientes diabéticos são portadores de úlceras nos membros inferiores. Complicações no pé diabético se desenvolvem a partir de uma combinação de causas, por exemplo, má circulação e neuropatia. Neuropatia diabética pode causar insensibilidade ou perda da capacidade de sentir dor, calor e frio. Os diabéticos que sofrem de neuropatia podem sofrer pequenos cortes, arranhões, bolhas ou úlceras e nem percebê-los devido à insensibilidade nos pés. Se estas lesões não são tratadas, podem complicar-se e levar a ulcerações e até mesmo a amputação. A neuropatia pode causar deformidades, como joanetes, dedos em martelo, e neuro-osteoartropatia (Pé de Charcot). É importante que diabéticos tomem as precauções necessárias para evitar lesões relacionadas ao pé. 

Devido às consequências da neuropatia, a observação diária dos pés é fundamental. Quando um paciente diabético toma as medidas preventivas necessárias, há redução dos riscos de lesões graves no pé.

Má circulação

Diabetes pode levar a doença vascular periférica, inibindo a circulação sanguínea de um indivíduo. Neste caso, há um estreitamento das artérias resultando na circulação sanguínea reduzida nos membros inferiores. A má circulação contribui para os problemas do pé diabético, porque reduz a quantidade de oxigênio e nutrientes na pele e em outros tecidos, dificultando a cicatrização das lesões. A má circulação também pode levar ao inchaço e ressecamento dos pés. Prevenir tais problemas é mais crítico para o paciente diabético, pois a má circulação dificulta o processo de cicatrização, podendo provocar úlceras, infecções e outros problemas graves no pé.

Tratamento e Prevenção

Calçados e palmilhas desempenham um papel importante na saúde do pé diabético. Palmilhas Ortopédicas personalizadas feitas com material macio são recomendadas para proteger o pé insensível do diabético. A palmilha personalizada garante o conforto e a proteção necessários para a saúde do pé diabético. Calçados e palmilhas devem também fornecer os seguintes benefícios de proteção: 

• Ponta do sapato alta e larga (altura e largura suficientes para os dedos). • Palmilhas removíveis nos sapatos, para ter a opção de inserir uma palmilha personalizada, se necessário. 

Cuidados com o pé para Diabéticos: 

Cuidado com os pés é especialmente importante para os diabéticos, pois eles são propensos a problemas como: 

• Perda de sensibilidade nos pés. • Mudanças no formato dos pés. • Úlceras ou feridas no pé que não cicatrizam.

Se o problema persistir, consulte seu médico ou ortopedista.

Pés sem Dor Ltda
Alameda Ribeirão Preto, 130 - 11º Andar - Sala 111
Bela Vista - 01331-000 - São Paulo - SP
Telefone: (11) 3373-8180
* Garantimos a sua satisfação ou devolveremos o seu dinheiro