Categoria: Patologias

Diferença de membros é mais comum em mulheres


Autor:

A diferença de membros é um problema desconhecido pela maioria da população. Entre março e junho de 2019, a Pés Sem Dor produziu uma pesquisa que identificou que 13.3% dos brasileiros relataram ter uma perna mais curta que a outra.

As mulheres são as que mais apresentam uma diferença nas pernas: cerca de 14%. Já os homens, apenas 12% responderam que sentem tal problema. O estudo revelou ainda que quase 1/4 da população não sabe se possui diferença de membros.

Imagem ilustrativa mostrando um exemplo de um esqueleto com diferença de membros.

Diferença de membros



O encurtamento tem origem em traumas, fraturas ou problemas genéticos e de formação. Há três classificações para a diferença: a discreta, menos que 3 cm; moderada, entre 3 e 6 cm e a grave, que chega a ser maior que 6 cm.

Diferenças afetam toda a estrutura do corpo. “O desbalanço e assimetria podem causar dores nos pés, joelhos, quadris e até mesmo coluna. Diferenças menores que 2 cm são normais e não necessitam tratamento, já que dificilmente causam problemas. A maioria das pessoas nem percebe, a não ser que aumentem cargas de atividades”, afirma Mateus Martinez, coautor da pesquisa e Diretor de Fisioterapia da Pés Sem Dor.

“A maneira mais fidedigna de diagnosticar o problema é a escanometria. Outra opção é o nivelador de quadril, disponível em clínicas e empresas especializadas. O tratamento é simples. Uma palmilha de compensação colocada no calçado alinha o esqueleto e iguala o comprimento dos membros, prevenindo e eliminando dores e os riscos”, conclui Martinez.

Para saber mais sobre as pesquisas, basta acessar o nosso site: https://www.pessemdor.com.br

1 Estrela(s)2 Estrela(s)3 Estrela(s)4 Estrela(s)5 Estrela(s) (Sem votações ainda)
Loading...

Deixe um comentário

avatar