Os estágios do joanete

9 de agosto de 2017

Você sabe identificar os estágios do joanete?

O joanete é uma das patologias mais comuns que acometem nossos pés, se você não tem, provavelmente conhece alguém que sofra com esse problema. No Brasil, são mais de 2 milhões de casos por ano.

As mulheres estão muito mais propensas a desenvolver o joanete (a cada 10 mulheres apenas um homem), isso se deve ao fato do uso do salto alto, já que calçados apertados são uma das causas do joanete.

O que é?

Conhecido como hálux valgo no meio científico, o joanete é uma alteração anatômica e progressiva, caracterizada pelo desvio do dedão em direção aos outros dedos e do primeiro metatarso para dentro, criando uma proeminência óssea na parte interna do pé, que pode causar muita dor e incômodo. A partir daí, é comum ter muita dificuldade para andar e para encontrar calçados que não machuquem.

Como é uma patologia progressiva, o joanete possui 5 estágios, que são:

 

Estágios do joanete/Hálux Valgo

 

Causas

São diversos os fatores que podem levar ao desenvolvimento do joanete, inclusive a genética, 83% dos pacientes tem histórico na família.

Podemos citar como principais:

    • Calçados inadequados, principalmente de bico apertado;

 

Comparação entre calçado inadequado com calçado adequado

Comparação entre calçado inadequado com calçado adequado

 

    • Tipo de pé (grego e egípcio estão mais vulneráveis);

 

Tipos de pé e suas classificações

Tipos de pé e suas classificações

 

  • Pé plano e/ou pronação excessiva;
  • Frouxidão ligamentar;
  • Doenças reumáticas.

Tratamento e Prevenção

Por ser uma patologia que se agrava, quanto mais cedo for feito o diagnóstico mais facilmente é tratado. Nos casos mais avançados e graves, a cirurgia pode ser necessária.

Acompanhado de um profissional especializado, esses tratamentos resolvem o joanete:

  • Utilizar calçados confortáveis;
  • Uso de órteses;
  • Uso de separadores de dedos;
  • Uso de Palmilhas Pés Sem Dor.

 

bunionette palmilha pés sem dor arco elevado

 

Para saber mais sobre a patologia e a atuação da palmilha, basta assistir ao vídeo: