Dor na frente do joelho

A dor na frente do joelho, geralmente associada à Síndrome da Dor
Femoropatelar (SDFP), é a causa mais comum de dor no joelho
(compreendendo 25% do total de casos de incômodos nessa articulação), e
atinge, com mais frequência, mulheres, jovens e atletas. O desalinhamento
dos membros inferiores e a alteração da biomecânica dos movimentos são os
principais fatores para o aparecimento de dor nessa região, pois contribuem para
a má movimentação e sobrecarga da patela.

O joelho é uma articulação complexa, dividida em três compartimentos: o medial,
formado pelos côndilos mediais da tíbia (osso da perna) e fêmur (osso da coxa);
o lateral, formado pelos côndilos laterais da tíbia e do fêmur; e o femoropatelar,
formado pela articulação da patela com o fêmur. É uma das articulações mais
instáveis do corpo humano e seu funcionamento depende da harmonia entre
várias estruturas, como meniscos, ligamentos, músculos e ossos.

A patela é um dos principais componentes do joelho e funciona como uma espécie
de alavanca: potencializa a força gerada pelos músculos da coxa. Para exercer
essa função, ela “desliza” por um desnível do fêmur, chamado de “sulco troclear”,
durante todas as atividades, como andar, 
correr, agachar, saltar ou subir e descer
escadas. Geralmente, quando ocorre algum problema em sua movimentação
(devido à sobrecarga ou desalinhamento natural dos membros) a articulação
femoropatelar fica mais 
suscetível a dores.

Esse tipo de dor é muito frequente entre atletas, principalmente nos praticantes
de corrida e saltos, por causa da alta repetição de movimentos e a aplicação
excessiva de carga na patela.

Patela e dor na frente do joelho

1. Patela e a frente do joelho

 

CAUSAS DA DOR NA FRENTE DO JOELHO

As causas da dor na frente do joelho são multifatoriais e estão relacionadas com o mau funcionamento de algumas estruturas. Existe um consenso de que a instabilidade da patela é o principal fator para o desenvolvimento de dores nessa região no joelho, mas outros fatores, como a obesidade, o excesso de atividades físicas intensas (principalmente a corrida), a falta de estabilidade dos músculos ou meniscos e a ocorrência de traumas ou lesões também podem gerar dores na frente do joelho.

 

  • Desalinhamento e a dor na frente do joelho

É estritamente recomendado consultar-se com um fisioterapeuta, que analisará se existe desalinhamento e se é necessária alguma sessão para melhorar os sintomas, o equilíbrio, a força e a confiança para as atividades diárias, além do uso de palmilhas Pés Sem Dor, que contribuem na correção do desalinhamento.

Joelho varo e a dor na frente do joelho

2. Joelho varo

Pessoas com o alinhamento em varo possuem o joelho posicionado como se estivessem montados em algum animal, pressionando exageradamente as estruturas mediais do joelho.

 

  • Joelho valgo

O joelho em valgo é o principal fator para o desenvolvimento de dor na frente do joelho. Isso porque, nesse tipo de desalinhamento, o centro da articulação executa um movimento de adução excessiva (ou seja, os joelhos se “deslocam” para dentro), enquanto os pés realizam uma hiperpronação. Essa disfunção dos membros inferiores pode causar sobrecarga em algumas regiões do joelho, afetando o movimento natural de algumas estruturas (como o deslizamento da patela pelo sulco troclear) e levar ao desgaste das cartilagens envolvidas.

Joelho valgo e a dor na frente do joelho

3. Joelho valgo

A dor femoropatelar pode ocorrer devido a diversos fatores, como por exemplo:

  • O tipo de patela;
  •  

  • Excesso de treinos e atividades físicas;
  •  

  • Aumento da mobilidade patelar;
  •  

  • Insuficiência do ligamento femoropatelar medial;
  •  

  • Aumento do ângulo Q;
  •  

  • Diminuição da profundidade do sulco troclear;
  •  

  • Disfunção do músculo quadríceps femoral;
  •  

  • Falta de massa muscular para estabilizar a articulação.

 

Ângulo Q

4. Ângulo Q

O ângulo Q é resultado da intersecção de duas retas: uma formada entre a tuberosidade da tíbia e o centro da patela; e outra que se estende da espinha ilíaca anterossuperior até o centro patelar. Ele é fundamental para determinar o grau de valgismo dos indivíduos e, quanto maior for sua abertura, maior será a sobrecarga aplicada no joelho. Os homens possuem ângulo Q entre 10º e 14º, enquanto mulheres apresentam uma abertura que pode variar entre 15º e 17º. Tal variação ocorre devido à estrutura biomecânica de cada gênero, pois o sexo feminino apresenta o quadril mais largo.

Para entender melhor os efeitos do joelho valgo é preciso analisar a ação dinâmica que as pernas executam durante as caminhadas. Funciona, basicamente, como um efeito dominó: durante o caminhar ou a corrida, os joelhos podem ter um movimento em valgo, que é a principal causa da dor na frente do joelho. Essa dor está relacionada com a fraqueza da musculatura do quadril, que deixa o fêmur ir para dentro durante o movimento, consequentemente o joelho também. Esse mecanismo lesivo pode estar relacionado também com uma pronação exacerbada.

A estabilização adequada do joelho, para evitar o desalinhamento em valgo, poderia ser adquirida por meio da integração adequada entre os músculos da coxa e dos glúteos. Para evitar a sobrecarga da articulação, é importante realizar um bom trabalho de fortalecimento físico-muscular que corrija os desalinhamentos do joelho.

Um sintoma referido frequentemente pelas pessoas com esse tipo de problema é a dor após longos períodos sentado na mesma posição, o chamado sinal do cinema.

 

  • Tendinite patelar

A tendinite patelar está relacionada com atividades físicas nas quais há uma sobrecarga excessiva da patela e do tendão patelar. Esse tipo de inflamação é comum em atletas de esportes com saltos (tanto que essa inflamação também é conhecida como “joelho de saltador”) e afeta a elasticidade e a resistência do tendão, causando dores bem localizadas na frente do joelho. Gera um incômodo abaixo da patela de difícil tratamento e que melhora após aquecimento para a prática esportiva.

 

  • Hoffite

A hoffa é uma estrutura gordurosa localizada na região anterior ao tendão patelar, entre os ligamentos femoropatelar e femorotibial, e tem como função nutrir a articulação. Quando há a incidência contínua de microtraumas, por causa da prática excessiva de atividades físicas ou devido a traumas diretos na região, esse tecido pode inflamar e desenvolver dores na frente do joelho.

 

  • Condromalácia patelar

A condromalácia patelar é o amolecimento da cartilagem da patela. Quando há algum tipo de desalinhamento nos membros inferiores, os impactos e as sobrecargas no joelho aumentam e podem ajudar no desenvolvimento da condromalácia.

 

  • Artrose patelar

A artrose é uma doença degenerativa e progressiva que causa o desgaste da cartilagem que reveste os ossos. O joelho, por ser suscetível às grandes cargas, é uma das regiões do corpo que mais são afetadas por essa patologia, que causa fortes dores e pode limitar a movimentação da articulação. A patela, por ser a alavanca do sistema locomotor e ser altamente influenciada pelo alinhamento dos membros inferiores, está muito sujeita à ocorrência de artrose.

 

  • Artrite

A movimentação da patela no sulco troclear faz com a frente do joelho seja muito vulnerável ao desgaste (tendo em mente que realizamos esse problema está relacionado com atividades de alto impacto e falta de forca da musculatura). Com isso, há um aumento da chance de desenvolver a artrite, que é uma doença que causa a inflamação e rigidez articular e comum conforme o avançar da idade. artrite

 

  • Lesões de ligamentos e de menisco

Os meniscos e os ligamentos ajudam a estabilizar e proteger o joelho dos impactos durante as atividades cotidianas. Quando há algum trauma ou entorse, o joelho executa um movimento acima do natural e essas estruturas podem sofrer danos, prejudicando o funcionamento dessa articulação e gerando dores na frente do joelho.

 

COMO TRATAR E PREVENIR DOR NA FRENTE DO JOELHO

Como a dor na frente do joelho pode ser causada por muitos fatores diferentes, é necessário um diagnóstico exato para descobrir sua origem, que deve ser fornecido por um profissional especializado, como um médico ou fisioterapeuta. Entretanto, após o aparecimento do incômodo, algumas medidas podem ser tomadas para aliviar as dores, como:

  • Diminuir a carga de exercícios físicos intensos;
  •  

  • Realizar os treinamentos em superfícies de menor impacto;
  •  

  • Não utilizar calçados rígidos, pois eles contribuem para a sobrecarga no joelho;
  •  

  • Praticar alongamentos para melhorar a flexibilidade;
  •  

  • Aplicar gelo pode ajudar em alguns casos;
  •  

  • Fazer fisioterapia para conter a inflamação, ajustar os movimentos do joelho e reabilitar a musculação;
  •  

  • Usar analgésicos e anti-inflamatórios prescritos por um médico;
  •  

  • Utilizar palmilhas Pés Sem Dor para corrigir as alterações do alinhamento.

 

Os tratamentos cirúrgicos podem ser indicados apenas em situações mais graves e quando o tratamento convencional não ameniza a dor.