Disque 4003-8033   ou

“Dores nos pés, tornozelos e joelhos: A importância do futebol na vida do brasileiro e sua influência nos pés, tornozelos e joelhos”

5-1

Dores nos pés, tornozelos e joelhos

A dor nos pés, tornozelos e joelhos é comum em grande parte da população e é motivo de muito incômodo e impacto no dia-a-dia das pessoas e na prática de atividades físicas como o futebol.
Portanto essa pesquisa avaliou os locais de dor que mais acometem as pessoas, assim como avaliou aqueles que tem dor nos tornozelos e joelhos. Além disso foi avaliado a intensidade (em uma escala de 0 nada a 10 insuportável) de dor que as pessoas sentem nessas regiões, a frequência (nunca, ás vezes, muitas vezes e sempre) e qual a diferença dessas dores entre os que nunca jogaram futebol versus aqueles que jogam ou já jogaram.

Dor nos pés

Pelo que foi analisado, a prática do futebol não altera o local de incidência de dores nos pés. Para ambos os grupos o local nos pés com mais dor é o calcanhar, representando um terço de todas as dores nos pés, seguido pelo arco do pé e todos os metatarsos.

Locais das dores.

Locais das dores.


Locais das dores.

Locais das dores.

No que diz respeito a intensidade geral de dor nos pés também não houve diferença significativa entre os grupos. Aproximadamente um quarto das pessoas não tem dor nos pés e 45% tem dor leve (de 1 a 3).

Intensidade das dores nos pés.

Intensidade das dores nos pés.

Analisando especificamente o grupo de pessoas que já jogou ou ainda joga futebol, foi feita a relação entre a presença de alguma dor nos pés com a posição em que a pessoa jogava ou joga.
Dessa relação se descobriu que o “lateral (ala)” é aquele que sofre com mais dores nos pés, seguido pelo goleiro. Isso poderia ser explicado pelo fato do lateral ser aquele que percorre a maior distância durante um jogo de futebol, e o goleiro é aquele que fica parado por mais tempo. Dois fatores que são ligados a ocorrência de dor nos pés.

Dores nos pés no futebol.

Dores nos pés no futebol.

Frequência de dor nos pés

Além da intensidade, também foi avaliada a frequência com que a dor acontece. Com relação a dor nos pés, a prática de futebol está relacionada a uma menor frequência de dor nos pés do que aqueles que não praticam e aqueles que jogam atualmente relatam ainda menor frequência do que os que já pararam de jogar.
A redução mais significativa de frequência de dor se dá entre as mulheres. A prática do futebol reduz praticamente pela metade as mulheres que sentem dor sempre ou muitas vezes.
Isso pode estar relacionado com a idade dos que jogam futebol (pessoas mais novas).

Frequência de dores nos pés.

Frequência de dores nos pés.

Frequência de dor nos pés X marca da chuteira

Relacionando a frequência de dor nos pés e a marca da chuteira, foi visto que as chuteiras que menos causam dor no pé são a Penalty, Nike e Topper, sendo Penalty a melhor delas. Já as piores são Diadora e Rebook, que causam dor com alguma frequência em 77,5% e 76,62% das pessoas respectivamente.

Marcas que causam mais dores.

Marcas que causam mais dores.

Dor nos tornozelos

Ao analisar a dor nos tornozelos com a prática ou não do futebol, se identificou que a prática do futebol está relacionada com a dor no tornozelo. Daqueles que nunca jogaram bola, 48% relatam alguma dor no tornozelo, enquanto que 56% daqueles que jogam ou já jogaram relatam dor.

Dor no tornozelo.

Dor no tornozelo.

Frequência de dor nos tornozelos

A frequência de dor nos tornozelos, ao contrário dos pés, se mostrou aumentar entre aqueles que jogavam e jogam bola. Esse aumento de frequência foi mais acentuado entre os homens, principalmente aqueles que já pararam de jogar. Apenas 40% dos homens que nunca jogaram tinham dor com alguma frequência, contra 53,4% dos que já pararam e 48,4% dos que ainda jogam.
O futebol se mostra então mais agressivo ao tornozelo do que ao pé e o fato das pessoas que jogam atualmente usarem mais tornozeleiras e palmilhas pode estar relacionada com elas sentirem menos o efeito do futebol sobre seus tornozelos, quando comparadas com as pessoas que já pararam de jogar e que usavam menos esses artifícios.

Frequência da dor nos tornozelos.

Frequência da dor nos tornozelos.

Dor nos joelhos

Para dor nos joelhos o que se nota é uma tendência diferente. Pessoas que nunca praticaram futebol relatam ter maior incidência de dor no joelho do que aqueles que jogam ou jogavam. Um percentual de 40% do grupo que nunca jogou diz não ter dor alguma, contra 50% dos que já praticaram.
É ainda possível analisar que essa diferença se dá principalmente por causa das mulheres. 62,5% das que nunca jogaram futebol têm alguma dor nos joelhos, enquanto que 52,4% das que jogam ou jogavam tem dor. Para os homens não foi identificado diferença significante.

Dor nos joelhos.

Dor nos joelhos.

Frequência de dor nos joelhos

Para dor nos joelhos, também foi observado que a prática do futebol está relacionada com uma menor frequência de dor, especialmente para mulheres. Para os homens a prática do futebol altera pouco a quantidade de vezes que eles sentem dores nos joelhos, no entanto para mulheres, 62% de quem nunca jogou futebol relata ter dor com alguma frequência, enquanto que 42% das que jogavam e 53% das que jogam relatam alguma dor.

Frequência de dor no joelho.

Frequência de dor no joelho.

Já quanto a presença de dor nos joelhos dentre os brasileiros que jogam ou jogavam futebol, foi visto que os atacantes são aqueles que sofrem menos com dores nos joelhos.

Dor no joelho por posição.

Dor no joelho por posição.


Dor no joelho no futebol.

Dor no joelho no futebol.

5-14