LiveZilla Live Help

Trabalho em pé causa perda de produtividade nas empresas

São Paulo, junho de 2017 – Uma pesquisa realizada entre março e maio deste ano revelou que o trabalho em pé é nocivo tanto para os funcionários quanto para o empregador. O estudo foi realizado com 2.940 brasileiros e mostra como a perda de produtividade e qualidade no trabalho está ligada às dores nos pés, tornozelos e joelhos.

Com 52 páginas de estatísticas e dados, “O trabalho e a relação com os pés, tornozelos e joelhos” tem Thomas Case, Ph.D. como um dos autores. “Quanto mais horas em pé, mais o ritmo de trabalho cai. As perdas são alarmantes. As mulheres produzem 47% menos e os homens 33% menos” alerta o empresário.

 

Imagem de uma tabela com dados sobre a queda de produtividade dos homens e das mulheres com as horas passadas em pé.

Mulheres sofrem uma queda maior em relação aos homens.


 

Uma estatística curiosa é a maneira que esses trabalhadores encontram para fugir da dor. A pesquisa identificou que as mulheres buscam sentar até 7 vezes ao dia, enquanto os homens buscam este alívio quase 6 vezes. Conforme o tempo em pé aumenta, mais o fenômeno se repete.

 

Imagem de uma tabela comparando após quantas horas homens e mulheres ficam em pé antes de sentarem para não sentirem dores.

Após uma hora trabalhando em pé, mais de 4% dos trabalhadores sentam para evitar as dores.


 

“As razões das perdas de capacidade são as dores causadas pelo trabalho em pé. O pior é que a longo prazo surgem lesões nos pés, tornozelos e joelhos de milhares de trabalhadores. É necessária a conscientização de que não bastar ter um EPI se os calçados do uniforme massacram os pés” afirma Mateus Martinez, fisioterapeuta-chefe da Pés Sem Dor e co-autor da pesquisa.

Para o especialista, há graves consequências econômicas. “Se a dor fosse eliminada, haveria um aumento de 30% a 40% na produtividade com o mesmo número de funcionários” conclui Martinez. Através dos resultados, foi desenvolvida uma palmilha ortopédica específica que pode ser a solução para balconistas, cabeleireiros e funcionários de linhas de produção.

 

Tabela com dados sobre a média de dores de homens e mulheres após oito horas em pé.

Após oito horas em pé, os pés são os que mais sofrem com dores.


 

A Pés Sem Dor vem recebendo convites para realizar exames e testes da pisada a fim de confeccionar a palmilha para trabalhadores de diversas empresas. “Produzimos com uma precisão capaz de acabar com estas dores. Temos um equipamento portátil de avaliação 3D e em três dias as palmilhas estão produzidas. São tão eficazes que eliminmos a dor ou devolvemos o dinheiro” garante Case.

A pesquisa completa pode ser lida em bit.ly/PesquisaPesNoTrabalho
Mais informações sobre a empresa e as palmilhas em www.pessemdor.com.br

Fontes e personagens diversos estão à disposição

Para entrevistas, contacte o public relations Lucas de Freitas no
(11) 3373-8198 ou (11) 9484-17954

 

A Pés Sem Dor é a primeira a confeccionar palmilhas ortopédicas sob medida em escâneres e impressoras 3D. Foi criada em 2009 pelo americano Thomas Case, que também é fundador da classificados de emprego Catho. Já atendeu mais de 50 mil pessoas e conta com parceiros na Alemanha, Inglaterra, Estados Unidos e China.
Lucas de Freitas
Public Relations – MTB 0082792/SP
(11) 3373-8198 / (11) 9484-17954
[email protected]
Pés Sem Dor Brasil, Ltda
Alameda Ribeirão Preto, 130, Conjunto 81 – Bela Vista, São Paulo/SP – CEP 01331-000