LiveZilla Live Help

Pés inchados

Pés inchados

1. Pés inchados

O QUE SÃO PÉS INCHADOS:

Os pés inchados são resultados da acumulação anormal de líquidos nos pés e tornozelos, principalmente durante o fim da tarde. São muito comuns em mulheres durante o ciclo menstrual ou em idosos (devido ao desgaste natural derivado da idade avançada) e suas causas são multifatoriais, variando desde a ocupação profissional do paciente até as disfunções dos sistemas hepático, renal e cardíaco.

A ação da gravidade faz com que o sistema circulatório tenha maior dificuldade em bombardear o sangue dos pés de volta ao coração. Para isso, um dos músculos das pernas é fundamental para o bem estar do corpo humano: a panturrilha, pois essa musculatura é responsável por empurrar nas veias parte do sangue que está retido nos membros inferiores, por meio de sua contração muscular.

Entretanto, pessoas que ficam em uma única posição por longos períodos de tempo (em pé ou sentadas) fazem com a panturrilha não consiga realizar sua função corretamente e há maior retenção de líquidos na perna. Por essa razão, é comum, ao final de um dia trabalho, as pessoas perceberem que seus pés e tornozelos estão inchados.

A variação dos níveis hormonais (principalmente em mulheres grávidas ou durante a menstruação) também é um fator determinante para o inchaço dos pés (tanto que as mulheres são as maiores vítimas desse tipo de incômodo), assim como a idade avançada, o uso de alguns medicamentos e problemas renais ou outras inflamações.

Em todos os casos, é importante fazer uma avaliação com profissional da saúde para detectar se as causas dos pés inchados estão relacionadas com um problema de saúde mais grave.

O QUE CAUSA PÉS INCHADOS

Existem alguns fatores que podem aumentar as chances do indivíduo ter os pés inchados, como por exemplo:

  • Idosos: Por causa do desgaste natural do corpo e menor eficiência do sistema circulatório, as pessoas idosas ficam mais sujeitas à ação da gravidade e têm maior probabilidade de terem inchaços nos pés e tornozelos;
  • Obesidade: O excesso de peso dificulta a circulação sangue, pois há maior pressão arterial e os vasos sanguíneos ficam comprometidos (alguns podem até mesmo obstruir);
  • Viagens longas de carro: Deixar as pernas numa mesma posição por muito tempo faz com que o sangue não circule corretamente, pois não há contração dos músculos da panturrilha. Isso ocorre com pessoas que trabalham em escritórios, fábricas, durante viagens de carro ou avião, etc;
  • Medicamentos: Alguns tipos de remédios também podem causar pés inchados, como os bloqueadores dos canais de cálcio, antidepressivos, esteróides, anticoncepcionais e medicamentos para o tratamento da diabetes;
  • Doenças renais: Os rins são responsáveis por filtrar e eliminar o sódio do organismo. Quando eles não conseguem realizar tal função, o corpo fica com altos níveis de sódio e há a formação de edemas nas pernas e nos pés que podem resultar em inchaço;
  • Calor: Durante as estações mais quentes do ano, o corpo precisa encontrar alguma forma de diminuir a temperatura interna. Para isso, os vasos sanguíneos sofrem maior dilatação e liberam líquidos nos tecidos, resultando no inchaço, principalmente, dos pés;
  • Inflamações: Resultado da ação de agentes invasores, como bactérias ou quando há um processo inflamatório, causado por alergia, infecção ou trauma. Nestes casos, os vasos sanguíneos adjacentes à lesão aumentam a permeabilidade para que as células de defesa cheguem ao local da inflamação, fazendo com que o líquido presente nos vasos extravase, gerando inchaço na região afetada;
  • Diabetes: Uma pessoa com neuropatia diabética (devido alterações metabólicas e de vasos sanguíneos causadas pelo diabetes) tem maior propensão a ter feridas nos pés. Há uma perda gradual de sensibilidade na região e os diabéticos acometidos por essa condição machucam a sola dos pés e não notam. Como a cicatrização fica comprometida, as feridas não se fecham normalmente, trazendo risco de problemas mais graves e, consequentemente, mais inchaço devido à inflamação local;
  • Traumas ou lesões: Uma lesão bem comum na região dos pés é o entorse de tornozelo, quando a pessoa pisa em falso e “vira” o pé para dentro (inversão) ou para fora (eversão). Neste caso, os ligamentos da região do tornozelo são estirados de forma abrupta e pode ocorrer ruptura parcial e até mesmo total de um ou mais ligamentos. Isso também pode acontecer com traumas diretos, como acidentes e pancadas no tornozelo. Fraturas nessa região também são frequentes e o edema aparece por causa da ruptura de pequenos vasos locais e como resposta ao primeiro estágio de inflamação. Os impactos alteram a dinâmica de funcionamento da região atingida e causa a formação de edemas;
  • Linfedema: Alterações ou retirada de gânglios linfáticos podem comprometer a circulação da linfa, líquido que circula por vasos e capilares. Com a obstrução da passagem da linfa, pode haver acúmulo de líquido nos membros inferiores e acarretar problemas mais graves como infecções e deformidades;
  • Gestantes: Durante a gravidez, é comum o organismo reter mais líquido devido à compressão de veias importantes para o retorno de sangue, dentre elas a veia cava. Com o aumento do tamanho do útero, ele pressiona esta veia que é responsável pelo retorno de sangue das pernas, o que diminui a velocidade da circulação sanguínea dos membros inferiores. Esta alteração faz com que haja acúmulo de líquido e gere inchaços nos pés e tornozelos. Quando o inchaço for repentino, no início da gestação e acometer mais regiões do corpo, pode ser um sinal de algo mais grave como a pré-eclâmpsia (aumento da pressão arterial após a 20ª semana de gestação), sendo necessário acompanhamento médico especializado;
  • Coágulos de sangue: também conhecido como trombose, podem se formar nas pernas em veias superficiais e profundas, o que causa bloqueio do fluxo normal de sangue e consequentemente pode gerar inchaço nos pés e tornozelos. Caso não seja tratado corretamente pode ser fatal, já que o coágulo pode se soltar da parede da veia e viajar pela circulação até atingir órgãos vitais, como coração, pulmões e cérebro, fato conhecido como embolia.

PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE PÉS INCHADOS

Para diminuir o inchaço é importante eliminar os fatores que possam estar bloqueando o fluxo de sangue no organismo. Por isso, algumas dicas podem ser seguidas para o tratamento ou prevenção desses casos, como:

  • Evitar ficar parado em uma única posição por muito tempo;
  • Elevar a perna antes dormir;
  • Ter uma dieta balanceada e diminuir a quantidade de sal nas refeições;
  • Beber água constantemente para hidratar o corpo;
  • Evitar roupas apertadas, como calças “skinny jeans”, pois elas comprimem as pernas desproporcionalmente. O ideal é utilizar meias de compressão;
  • Manter o peso sob controle;
  • Praticar exercícios físicos e exercitar as pernas e ativar a circulação;
  • Massagear e estimular a panturrilha, movimentando o pé para cima e para baixo;
  • Drenagem linfática estimula o sistema linfático, ajudando a reduzir a retenção de líquido e a ativação da circulação em geral;
  • Utilizar tênis confortáveis;
  • Medicamentos para diminuir a pressão arterial somente devem ser utilizados com prescrição médica.

COMO A PALMILHA PÉS SEM DOR ATUA NOS

pés inchados

As palmilhas Pés Sem Dor auxiliam na melhor distribuição das pressões no pé e evitam a sobrecarga. Elas são fabricadas com elevações no arco plantar para corrigir as alterações da pisada e prevenir lesões.

Palmilhas Pés Sem Dor

2. Palmilhas Pés Sem Dor

Sorteio encerrado “O salto alto e a mulher brasileira”. Clique aqui e saiba quem são as 6 ganhadoras!