Disque 4003-8033   ou

Dores

A dor foi um dos principais pontos de interesse da pesquisa, que utilizou a seguinte escala de intensidade para avaliar a presença de dor entre os trabalhadores:
 
Imagem representando a escala de dor, de 1 a 3 é leve, de 4 a 6 é moderada e de 7 a 10 é intensa.
 
Essa escala foi usada para avaliar a dor nos pés, tornozelos e joelhos.

Foi revelado que 92% dos trabalhadores têm dores nos pés. Analisando essa população foi visto que eles têm uma intensidade média de dor de 4,98. Analisando por gênero, 95% das mulheres relataram dor, com média de 5,27, enquanto 88% dos homens apresentaram dores, com média de 4,39.

Nota-se, portanto, que mais mulheres sentem dores do que homens e com uma intensidade maior. Isso pode estar relacionado com o fato das mulheres passarem menos tempo sentadas e terem funções mais operacionais, como foi visto anteriormente.
 
Tabela com a relação entre o tipo de calçado de quem fica mais de seis horas em pé.
 
Fazendo a análise entre dor e tipo de calçado, não foi encontrada relação relevante. Interessantemente, a intensidade média de dor se mantém relativamente constante entre os todos os tipos de calçados.
 
Imagem de uma tabela a relação entre os gêneros e a intensidade de dores no pé.
 

Clique nos links abaixo para saber mais detalhes sobre a pesquisa “O trabalho e a relação com os pés, tornozelos e joelhos”.

Características dos trabalhadores do estudo

Características do trabalho

Problemas nos pés causados pelo trabalho

Consequências econômicas do tempo em pé e as dores

Característica dos pés