LiveZilla Live Help

Fascite plantar

fascite plantar

O QUE É FASCITE PLANTAR:

A fáscia plantar é um tecido fibroso localizado ao longo da planta do pé, que se estende do calcanhar até a ponta dos dedos e tem como função a sustentação do arco plantar. A Fascite plantar é a inflamação que ocorre devido a um estresse excessivo dessa região, como impacto e microtraumas repetitivos e processos degenerativos no local da origem da fáscia.

É uma das patologias mais comuns que acometem o pé e tem sido muito discutida pelos profissionais da área de saúde e esportistas. Fascite é uma condição em que há uma inflamação aguda da fáscia plantar, tecido conjuntivo que se estende da base do osso calcâneo (calcanhar) por toda planta do pé. Quando sobrecarregada, a fáscia inflama, causando dor. Essa dor também pode estar localizada apenas no calcanhar ou no arco do pé e algumas vezes irradiar para outras regiões, como tornozelos, dorso do pé e tendão de Aquiles..

A fascite pode ser confundida com esporão de calcâneo, pois a fáscia se origina na mesma região onde o esporão surge e a dor se estende praticamente pela mesma região do calcanhar. Assim, após longos períodos de sobrecarga e tratamento inadequado, pode causar o esporão, que não são a mesma coisa mas podem estar relacionados.

Se a fascite plantar não for tratada corretamente e a fáscia continuar a ser exigida de forma excessiva e repetitiva, a fascia pode entrar em um processo de degeneração tornando a dor crônica e ainda favorecer o aparecimento do esporão.

O QUE CAUSA A FASCITE PLANTAR

Algumas alterações biomecânicas estão intimamente ligadas a inflamações na fáscia e principalmente a um mau amortecimento de impacto que sobrecarrega essa estrutura.

  • Pé muito cavo (2% da população), por ser mais rígido e menos eficiente na absorção de impactos, podendo ocasionar encurtamento da fáscia;
  • Pé chato (14% da população) e pisada hiperpronada, por ser um pé hipermóvel, também há um déficit na absorção de impactos e isso pode gerar um contínuo estiramento da fáscia plantar;
  • Sobrepeso, pois existe uma sobrecarga tanto óssea quanto muscular, sendo assim um fator de risco, (21,3% dos homens acima de 100 kg sentem sempre dores nos pés);
  • Calçados inadequados, com solados planos e muito flexíveis que não dão o suporte adequado para o arco do pé;
  • Atividade física repetitiva e de alta intensidade, que exijam muito do calcanhar e da fáscia plantar, como corridas longas e excessivas (34% dos homens e 27,5% das mulheres tem dor na sola do pé após atividade física contínua);
  • Encurtamento e tensão no Tendão de Aquiles (que liga a panturrilha à região do tornozelo), já que este tendão tem conexão direta com a fáscia plantar;
  • Exercer funções em que precise ficar em pé por muito tempo.

PRINCIPAIS SINAIS E SINTOMAS DA FASCITE PLANTAR

  • Dor na sola do pé e calcanhar nos primeiros passos pela manhã e que vai melhorando ao longo do caminhar;
  • Dor após ficar muito tempo em pé ou ao se levantar após um longo período sentado;
  • Dor na sola do pé após e/ou durante atividade física;
  • Dor a palpação da sola do pé e calcanhar;
  • Rigidez e tensão na sola do pé.

COMO TRATAR E PREVENIR A FASCITE PLANTAR

A melhor maneira de tratamento é a forma conservadora. É necessário resolver  o que está causando a sobrecarga na fáscia. Cirurgias para este problema são feitas somente em últimos casos, quando o tratamento conservador não surtiu efeito ou se houver ruptura da fáscia, que pode ser decorrente do uso de injeções locais à base de corticóides (infiltrações usadas para controle de dor).

A fasciotomia plantar (cirurgia mais comum) tem como objetivo promover a descompressão da região de inserção da fáscia, mas não garante que haja uma plena melhora dos sintomas. A cirurgia deve liberar parcialmente a fáscia (parte medial) e caso haja liberação total, existe o risco de haver desabamento do arco longitudinal medial e desencadear problemas como o pé chato adulto adquirido.

Abaixo estão as principais formas de tratamento e prevenção.

  • Corrigir as alterações nos casos de pé chato ou cavo e hiperpronação;
  • Alongamento e fortalecimento das estruturas de pé e tornozelo;
  • Perder peso;
  • Readaptar a prática esportiva com auxílio de um profissional;
  • Uso de bandagens (taping) de forma que exerça tração moderada na sola dos pés, promovendo alongamento e maior estabilidade;
  • Acupuntura, associada à outras formas de reabilitação;
  • Eletrotermofototerapia (ultrassom, iontoforese e laser);
  • Dry needling (agulhamento à seco), que proporciona relaxamento da fáscia;
  • Readequar o calçado (maior amortecimento e suporte);
  • Uso de Palmilha Pés Sem Dor. Uma das formas mais eficazes de ajustar as alterações biomecânicas, causadoras da fascite plantar.

 

Dicas para aliviar as dores da fascite plantar:

  • Sempre preferir gelo ao calor e nunca ultrapassar 20 minutos de aplicação;
  • Alongar alivia os sintomas temporariamente, mas dificilmente apenas o alongamento resolverá o problema, já que a sobrecarga local é uma das principais causas;
  • Anti-inflamatórios (prescritos por um médico) podem ser usados, auxiliam no controle da dor e inflamação, mas devem ser aliados a outras terapias. O seu uso quebra o ciclo de dor e permite que os exercícios terapêuticos sejam realizados com melhor eficácia;
  • Imobilização raramente é a melhor saída. Sabe-se hoje que a reeducação da atividade, o uso de palmilhas e exercícios específicos são a melhor solução;
  • Uso de órtese noturna, para auxiliar no alongamento da fáscia;
  • Para fortalecer a musculatura profunda do pé, puxe uma toalha com os dedos dos pés. Faça de 10 a 15 repetições, de 3 a 4 vezes por dia;
  •  

    Fascite plantar

    Fascite plantar


     

  • Alongar e fortalecer a panturrilha: Fique na ponta de um degrau, estique a perna para cima, ficando na ponta do pé e retorne para baixo até o limite. Realizar 3 séries de 15 repetições, 1 vez ao dia;
  • Puxar a ponta do pé com a mão (A), pressionando contra a parede (B) ou com uma toalha (C), por 30 segundos;
  • Controlar a inflamação com o uso de gelo aplicando na região dolorida de 10 a 15 minutos duas vezes ao dia ou congelar uma garrafa de água (600ml), pisar em cima e rolar o pé sobre ela. Fazer isso por 1 minuto, repetindo 3 vezes.
fascite plantar dor alongamento

1. Exercícios para alívio da fascite plantar

 

  • Controlar a inflamação:
  • Congelar uma garrafa de água (600ml), pisar em cima e rolar o pé sobre ela. Fazer isso por 1 minuto, repetindo 3 vezes.

 

fascite plantar dor alongamento massagem

2. Rolar o pé sobre uma garrafa de água congelada

fascite plantar palmilha pés sem dor

3. Palmilha para fascite plantar

COMO A PALMILHA PÉS SEM DOR ATUA NA

fascite plantar

A palmilha Pés Sem Dor atua dando suporte ao arco plantar e, consequentemente, à fáscia plantar, de forma que a sobrecarga sobre ela seja retirada em cada passo. No caso do pé cavo, a palmilha aumenta a área de contato e melhora o amortecimento desse pé. No caso do pé chato e hiperpronado, a palmilha oferece apoio ao arco e alinha a pisada, retirando a carga da fáscia plantar. Além disso, a palmilha sob medida consegue promover o alongamento da fáscia, quando necessário, aliviando os sintomas. Clique aqui e conheça a palmilha Pés Sem Dor para tratamento da fascite plantar.
Para saber mais sobre fascite plantar, assista ao vídeo abaixo:

diagnostico-fascite4

Sorteio encerrado “O salto alto e a mulher brasileira”. Clique aqui e saiba quem são as 6 ganhadoras!