Disque 4003-8033   ou

Esporão de Calcâneo

O esporão de calcâneo é uma espícula óssea que cresce no principal osso do calcanhar – o calcâneo. Esse osso está localizado perto de um tecido chamado fáscia plantar. Devido ao excesso de carga e grandes impactos na região por um longo período, o corpo reage a estes estímulos depositando cálcio no local, fazendo com que esse fragmento ósseo se desenvolva. Desse modo, ocorre também a tração excessiva da fáscia no calcâneo.

Estima-se que uma em cada dez pessoas tem essa patologia, mas somente 5% apresentam sintomas. Isso significa que, na maioria dos casos, o esporão não é a causa da dor e não dói. A dor pode vir de uma doença vascular, nervosa, reumática ou da inflamação que o esporão causa nos tecidos, como na fáscia, por exemplo.

O termo esporão de calcâneo é muito relacionado com fascite plantar, e muitas vezes aparece como diagnóstico para dor no calcanhar, mas de maneira errada. O diagnóstico de esporão é radiológico e sua presença pode ou não estar relacionada com os sintomas.

Assista o vídeo e entenda tudo sobre Esporão de Calcâneo:

CAUSAS

As causas do esporão de calcâneo, normalmente, estão relacionadas à rigidez e à excessiva tração da fáscia no osso calcâneo. Isso pode ocorrer por diversos motivos, como:

Aumento da intensidade de treinos ou início repentino de atividades de alto impacto, que sobrecarregam e aumentam a rigidez da fáscia. Além disso, esse aumento súbito implica no excesso de contato entre o osso e o tecido, aumentando a probabilidade de o esporão aparecer;

Calçado inadequado, com solado muito duro para prática esportiva;

O excesso de peso, que sobrecarrega o pé e o calcanhar.

 

Tipos de pé

Há três tipos de pés: o neutro, o cavo e o chato. Cada um deles possui uma estrutura do arco plantar diferente e, dependendo de qual for, essa estrutura pode deixar o pé mais propenso a lesões.

– O pé neutro possui o arco compatível com seu comprimento e largura. É o mais comum e apropriado para distribuir a carga imposta nos pés e absorver o impacto;

– O pé cavo possui um arco mais alto e acentuado. Sua área de apoio é menor. A pressão depositada no pé fica concentrada nos metatarsos – região próxima aos dedos – e no calcanhar. Já a fáscia plantar, nesse tipo de pé, encontra-se encurtada e tensa, favorecendo o surgimento do esporão de calcâneo. Por esses motivos, o surgimento de esporão pode ocasionar dores;

Pé cavo

Pé cavo

– O pé chato ou plano tem o arco mais baixo. Possui uma grande área de apoio, pois quase toda a sola do pé fica em contato com o chão. Esse tipo de pé possui menos capacidade de absorção de carga, quando comparado ao pé normal. Nele, a fáscia plantar encontra-se sobrecarregada, favorecendo o aparecimento do esporão;

Pé chato

Pé chato

SINAIS E SINTOMAS

Normalmente, a dor do esporão é descrita como pulsante e aguda. Ela aparece na região plantar do calcanhar e a sensação de agulhada ou de pisar sobre cacos de vidro, principalmente ao acordar, é muito comum. Já ao decorrer do dia, a dor pode diminuir e voltar, dependendo das atividades exercidas. Se houver impacto constante e sobrecarga na região, o local pode ficar mais inflamado. Contudo, mesmo que o esporão continue a se desenvolver, é normal que não apareça dor. Muitos casos dessa patologia não apresentam nenhum sintoma.

Mas, para a dor existir, é necessária a lesão de um dos tecidos próximos, como da fáscia plantar, do coxim de gordura ou dos músculos da sola. Além disso, outras lesões no calcâneo podem originar o esporão. É importante lembrar que a inflamação da região do calcanhar pode dificultar a movimentação dos pés e limitar as atividades normais do indivíduo.

Segundo a pesquisa realizada pela Pés Sem Dor em 2017, com 3316 pessoas via internet, as principais dores nos pés dos estão localizadas no calcanhar (47%). Além disso, também foi constatado que as mulheres tendem a sentir muito mais dores no calcanhar que os homens.

PREVENÇÃO E TRATAMENTO

Para prevenir o aparecimento do esporão de calcâneo e amenizar os sintomas relacionados, recomenda-se que algumas medidas sejam seguidas, como:

  • Reduzir a carga de exercícios e atividades de alto impacto;
  • Perder peso. Isso diminui a sobrecarga depositada nos calcanhares;
  • Fazer fisioterapia, pois os exercícios específicos e aparelhos (ultrassom, laser e ondas de choque) ajudam a reduzir os sintomas;
  • Usar órteses noturnas;
  • Utilizar calçados com um bom amortecimento e com a parte de trás ligeiramente mais alta que a da frente;
  • Utilização de palmilhas ortopédicas para redistribuição de carga.

PALMILHA PÉS SEM DOR® PARA ESPORÃO DE CALCÂNEO

As palmilhas Pés Sem Dor atuam na melhora dos sintomas e na causa do problema, evitando o aumento do esporão e o reaparecimento das dores.

Por serem confeccionadas sob medida e baseadas nos contornos de cada pé, as palmilhas fabricadas em impressora 3D apresentam o suporte do arco longitudinal ideal. Elas aumentam a área de recepção de carga e diminuem a tensão da fáscia. Além disso, a palmilha conta com uma pequena elevação na região do calcanhar, que redistribui as cargas depositadas nos pés. Isso ajuda a diminuir ainda mais o impacto na região do esporão e assim, acabar com as causas da patologia. Caso seja necessário, pode-se adicionar amortecedores específicos na região das dores para ameniza-las ainda mais e trazer mais conforto para os pés.

 

Palmilha para esporão de calcâneo

 

CIRURGIA

As cirurgias podem ser realizadas para a retirada do esporão e a liberação da fáscia plantar. O procedimento cirúrgico é destinado aos casos mais graves, ocorrendo somente após de, no mínimo, um ano de tratamento conservador. As complicações pós cirúrgicas mais comuns são:

  • Permanência dos sintomas no local (por conta da intervenção cirúrgica);
  • Atrofia da musculatura da panturrilha;
  • Perda de mobilidade e força dos dedos;
  • Fibrose (tecido cicatricial) na região;
  • Perda de sensibilidade no local.

esporao 8

Cirurgia de remoção do esporão

 

CALÇADOS PARA CORREDORES COM ESPORÃO

A escolha do calçado na hora da corrida pode ser um diferencial. Saber escolhe-los pode tornar a prática do esporte mais confortável e ajudar no alívio das dores. Os tênis, em geral, contam com uma diferença de altura entre a parte de trás e a da frente. Sendo assim, quanto maior essa diferença, melhor para quem tem esporão. Isso porque a elevação redistribui a pressão que estava concentrada no calcanhar, deslocando a tensão para a frente do pé.

Mas essa elevação não pode ser excessiva. Quando muito extrema, ela pode sobrecarregar a região dos metatarsos e ocasionar complicações como: metatarsalgia e hálux valgo. Por isso, apenas a combinação de um calçado para esporte e uma palmilha sob medida será eficaz para proteger o pé do corredor. As palmilhas amortecem os grandes impactos, trazem conforto para os pés e são fundamentais para o tratamento de esporão.

 

ESPORTES

Por que o esporão de calcâneo é tão frequente em corredores?
No momento da corrida, o peso corporal do corredor é depositado nos calcanhares de forma alternada. Desse modo, cabe aos tecidos do pé protegerem a região. No caso do corredor que possui esporão, a estrutura óssea recebe uma tensão excessiva, e por estar sobrecarregada, ocasiona pequenas rupturas nos tecidos, levando-os à inflamação.

Outro fator importante, e que influência na formação do esporão, é a diferença nas maneiras de correr. Isso porque a região do pé que primeiro encosta no solo, recebe a maior quantidade de pressão. No caso de quem toca primeiro o calcanhar, o peso corporal é aplicado de forma desproporcional no calcâneo, o que pode gerar desconfortos e aumentar as chances do esporão se desenvolver.

DICA: Se você está sentindo que durante o contato do seu pé com o solo, o calcanhar está doendo, o recomendado é diminuir o tamanho do passo e dar uma quantidade maior de pisadas. Posicione sempre o pé abaixo do seu centro de gravidade e nunca à frente, desta maneira, você evitará sobrecargas no calcanhar e nos joelhos.

Dando passos menores e com mais frequência, o meio e a ponta do pé recebem mais carga e a pisada fica em equilíbrio. Já com passos longos, o calcanhar obrigatoriamente encosta primeiro no chão, recebendo a maior parte da carga.Além disso, é importante analisar o volume em que se pratica a atividade física. O adequado é que seja feito um aumento gradual do esforço físico, começando com caminhadas leves e aumentando conforme o atleta vai se sentindo mais confortável. Então, nada de extrapolar os limites: quanto mais o corpo é submetido a situações em que ele não está preparado, maior o risco de desgaste e de lesões

 

Estou com esporão, posso continuar a correr?

Muitas pessoas podem apresentar o esporão e não sentirem a dor. Portanto, a presença do esporão de calcâneo não é um fator limitante. O que deve ser levado em consideração é a dor na região. Caso haja qualquer sinal de desconforto, dor ou edema no local, o certo a se fazer é procurar orientação de um especialista em pés, tornozelos e joelhos, e diminuir a carga de exercícios. Isso pode ajudar no alívio das dores e no sucesso do tratamento.
Ignorar a dor, continuar praticando o esporte e não receber o tratamento adequado, são condutas que podem agravar, tanto a patologia, quanto as lesões nos tecidos do pé.

Esportes com pouca intensidade

Se você pratica algum esporte ou faz atividades físicas que causam impactos nos pés, o recomendado é parar ou diminuir a frequência. Para não ficar parado, e continuar mantendo o seu corpo ativo, o mais adequado é optar por atividades que não vão causar nenhum dano ou piorar o seu quadro.Veja alguns esportes recomendados:

– Natação: Essa atividade é indicada para a recuperação de lesões. A resistência da água proporciona que os músculos trabalhem sem que haja impacto entre a superfície e a região do pé lesionada. Além disso, a natação trabalha os músculos e articulações do corpo todo, favorecendo uma melhora no bombeamento sanguíneo e na saúde do coração. As braçadas frequentes na piscina podem ajudar na capacidade do sistema cardiorrespiratório. Essa atividade é indicada para pessoas de todas as idades, principalmente durante a gravidez ou na terceira idade;

– Pilates: É outro método de exercício físico bastante utilizado durante a recuperação de lesões. Por ser uma atividade física que trabalha com fortalecimento, estabilização e mobilidade articular, o pilates possibilita que o praticante tenha um corpo ativo, sendo acessível a pessoas de qualquer idade. E pelos movimentos serem suaves e contínuos, a sobrecarga nos pés é redistribuída, o que auxilia a diminuição das dores;

– Total-body Resistance Exercise (TRX): É um aparelho desenvolvido com fitas que podem ser presas em qualquer estrutura sólida. O aparelho transforma o peso do corpo em resistência variável, e quem o utiliza, consegue escolher o nível de dificuldade do exercício. Para isso, basta apenas modificar a posição do próprio corpo, não necessitando usar pesos adicionais. Como o TRX é feito em suspensão e o treino é focado nos exercícios de força, a prática impulsiona a estabilização das articulações, melhorando a postura e a capacidade física do praticante, sem gerar impacto nos pés.

 

DICAS E CURIOSIDADES

Algumas condutas muito simples podem ser tomadas em quase todo lugar. Elas servem para ajudar no alívio dos sintomas. Veja:

– Alongar a fáscia plantar, com os polegares no centro do pé: Deslize os dedos da mão, pressionando o centro em direção ao calcanhar. Em seguida, deslize o polegar, do centro do pé para os dedos. Realize 3 vezes ao dia durante 30 segundos;

– Alongar a panturrilha com um cinto: Posicione o cinto na região próxima aos dedos e puxe a ponta dos pés para próximo do corpo. Permaneça assim por 1 minuto. Repita de 3 a 4 vezes por semana;

– Utilizar uma garrafa de água congelada ou um saco com gelo posicionado na região de dor: Coloque um pano fino entre o objeto e a pele. O gelo ajuda a aliviar a dor de maneira rápida e eficaz. Esse procedimento deve ser feito entre 15 e 20 minutos. Pode ser repetido sempre que a dor estiver forte;

Anti-inflamatórios com prescrição médica auxiliam no controle da inflamação. Eles devem ser utilizados simultaneamente ao tratamento especializado.

Dicas caseiras para aliviar a dor
No caso das dores que tem ligações com esporão (como a fascite plantar e a dor no calcanhar), existem algumas dicas caseiras que podem ajudar, como:

 

Sais de Epsom
Os sais de Epsom são famosos pela sua suposta ação anti-inflamatória e calmante. Os minerais presentes podem ajudar a relaxar a musculatura do pé e consequentemente aliviar a dor causada pela fascite plantar.

Ingredientes
– 5 xícaras de água;

– 4 colheres de sais de Epsom.

Modo de preparo
Coloque a água para esquentar, mas não deixe por muito tempo. A água precisa estar em uma boa temperatura para colocar os pés. Depois, despeje a água em uma bacia e adicione os sais. Mergulhe os pés na água e mantenha por 20 minutos.

 

Espinafre
O espinafre é conhecido por servir como remédio caseiro, pois acredita-se que seus componentes possuam propriedades anti-inflamatórias, ajudando a diminuir a dor nos pés.

Você vai precisar de 10 folhas de espinafre. Corte e amasse bem as folhas, coloque-as sobre o local do esporão e prenda com uma gaze. Deixe agir por 20 minutos, depois lave com água morna. Repita quantas vezes achar necessário.

 

Massagem com óleo de mamona
Também conhecido como óleo de rícino, ele é muito usado quando se busca aliviar as dores nos pés, tanto as que têm conexão com esporão, quanto as outras dores. No caso, o fator principal é a massagem. Porém, não é possível apontar que o uso do óleo de mamona tem influência no alivio da dor. Mas a massagem, por ser um instrumento terapêutico, pode ajudar a diminuir o desconforto.

A massagem atua primordialmente na musculatura, trabalhando no relaxamento do tecido e, por buscar reduzir a tensão na região, acaba suavizando as dores nos pés. Mas não tem como atestar que funciona no alívio das dores, justamente porque o foco é na musculatura. Esse método pode apenas suavizar o local de forma temporária e descentralizada.

IMPORTANTE: Os métodos terapêuticos alternativos podem ser usados como um complemento para o tratamento, pois raramente têm efeito quando usados de forma isolada. As dicas caseiras são de conhecimento popular e não apresentam confirmações científicas quanto sua eficácia. O alívio das dores pode estar relacionado a um efeito conhecido como placebo, que é gerado pelos estímulos sinestésicos das medidas caseiras. O ideal para quem busca o alívio de qualquer dor é sempre procurar a ajuda de especialistas.

 

LINKS EXTERNOS SOBRE ESPORÃO DE CALCÂNEO

1) Dor no calcâneo | ABC da Saúde;

2) Heel Pain (Plantar Fasciitis) | Foot Health Facts;

3) Heel Spurs and Plantar Fasciitis | WebMed;

4) The Diagnosis and Treatment of Heel Pain: A Clinical | Guideline–Revision 2010: The Journal of Foot and Ankle Surgery.


key-fujisaki
Autor(a):

Key Fujisaki é fisioterapeuta formada pela Universidade de São Paulo – USP, com intercâmbio na Universidade de Queensland – Austrália. Fez estágio no laboratório de pesquisa da School of Health and Rehabilitation Sciences da Universidade de Queensland no projeto “The effects of experimental knee pain in maximal voluntary extension force”. Analista de Fisioterapia na Pés Sem Dor, gosta de gastronomia e mergulho.Profissional com registro no crefito: 223367-F. Você pode encontar Key Fujisaki no Linkedin.