Palmilha para salto alto e a redução da pressão plantar

A IMPORTÂNCIA DE ABORDAR ESSE ASSUNTO

O salto alto é uma paixão da maioria das mulheres. Além de ser lindo e charmoso, ele altera o padrão postural das usuárias, deixando-as mais elegantes.

No entanto, sabemos que o uso desses tipos de sapatos ocasionam alterações biomecânicas na pisada e provocam torções, desconfortos, calos e deformações nos dedos. Mesmo diante desses riscos e vários relatos de DORES, esses calçados são amados pelas mulheres.

Sapato de salto alto
Sapato de salto alto
  • A. SALTO ALTO CAUSA MUITA DOR NAS MULHERES

Podemos observar a relevância quando vemos a quantidade de queixas de DORES. Segundo dados da pesquisa realizada pela Pés Sem Dor “Salto Alto e a Mulher Brasileira”, cerca de 79% das 1350 respondentes alegaram que a DOR é o principal motivo que as impedem de usar o sapato de salto alto por mais tempo.

  • B. RELAÇÃO: TEMPO E DOR DURANTE O USO DO SALTO ALTO

Devido ao desconforto causado pelas DORES, as usuárias de sapato de salto alto não conseguem permanecer o tempo desejado em cima do salto.
Ao observarmos a relação do tempo em que as respondentes da pesquisa conseguem usar o salto alto sem sentir DOR, notamos que 31,61% já sentem dor na primeira hora de uso.

 
Isso ocorre devido ao aumento da pressão plantar, causado pela projeção do peso corporal para frente, concentrando-se na região do antepé (metatarsos e dedos).

  • C. REGIÕES DE DORES APONTADAS DURANTE O USO DE SALTO ALTO

Ao serem questionadas sobre qual a região mais dolorida durante o uso do sapato de salto alto, 66,46% das respondentes apontaram a região dos metatarsos; 22,15%, os dedos; e 14,89%, o primeiro metatarso (dedão do pé), ou seja, áreas correspondentes à região do antepé. Ainda foram citadas como regiões dolorosas arco do pé com 16,59% e calcanhar com 17,31%.

  • D. AS DORES OCASIONADAS PELO PICO DE PRESSÃO PLANTAR

Há uma relação entre as alterações das pressões plantares e as áreas dolorosas. Estudos mostram que as forças na superfície plantar desencadeiam alterações na pressão exercida nos pés e, consequentemente, provocam o aparecimento de patologias e deformidades, causando DOR e alterando o padrão normal da marcha (Abboud 2002; Putti et al. 2008; Monteiro et al. 2010).

  • E. RELAÇÃO: ALTURA DO SALTO versus DISTRIBUIÇÃO DAS PRESSÕES PLANTARES

A imagem abaixo ilustra a relação de diferentes alturas de salto e o pico de pressão plantar nas regiões do retropé (calcâneo) e do antepé. A distribuição dessa pressão, concentrada principalmente nos metatarsos e dedos, dependerá não só da altura do salto, mas também do peso corporal e tamanho do pé.

distribuição plantar representada em porcentagens de acordo com altura do salto.
Distribuição plantar de acordo com altura do salto.

METODOLOGIA

  • A. PEDAR: MEDIDOR DE PRESSÕES PLANTARES

Usado em grandes laboratórios e também na Pés Sem Dor, o Pedar é um equipamento alemão que permite medir as pressões plantares (na sola do pé) durante a marcha, com o calçado e/ou calçado com a palmilha.

Aparelho PEDAR – Permite a medida das pressões plantares dentro do calçado
 Equipamento PEDAR
  • B. MEDIÇÃO DA PRESSÃO PLANTAR DENTRO DO SAPATO DE SALTO ALTO COM E SEM A PALMILHA

Posicionamos o acessório em formato de palmilha do aparelho Pedar dentro de diferentes modelos de sapatos, com salto maior que 10 cm e avaliamos as pressões exercidas nas plantas dos pés com e sem a palmilha para salto alto.
Seguindo uma escala classificada por cores, conseguimos analisar a distribuição dessas pressões em cada região dos pés.

Escala de classificação das pressões plantares a partir das cores.
Escala de classificação das pressões plantares a partir das cores.
  • C. RELAÇÃO: DISTRIBUIÇÃO DAS PRESSÕES PLANTARES versus SAPATO DE SALTO ALTO (COM E SEM A PALMILHA)

 As imagens abaixo se referem a uma usuária de salto alto, caminhando com sapato de salto em dois momentos: com e sem a palmilha para salto alto.

 
A área selecionada na figura acima se refere às pressões exercidas na região do antepé, exatamente no hálux (dedão do pé). Houve redução de 46% da pressão exercida no dedão quando foi utilizada a Palmilha Salto Alto Pés Sem Dor.

  • D. A PALMILHA DE SALTO ALTO PÉS SEM DOR REDUZ A PRESSÃO PLANTAR NO ANTEPÉ

A Palmilha Salto Alto Pés Sem Dor redistribui as pressões plantares e reduz os picos de pressão do antepé, principalmente na região do hálux, promovendo o alívio das dores causadas pelo sapato de salto alto.
O apoio do arco plantar, em conjunto com o piloto localizado na área do antepé, diminui as pressões dos metatarsos e dedos. O ponto de alívio no calcâneo (região do calcanhar) ajuda a aderir a palmilha ao pé, para que esta não se desloque ou vá para a frente do sapato.