Disque 4003-8033   ou

Dor no Joelho

A dor no joelho atinge todas as faixas etárias e é um assunto muito amplo, pois
envolve diversas causas e diferentes patologias. O joelho é a articulação mais
instável do membro inferior porque lesiona facilmente. A estabilidade depende
do bom funcionamento de várias estruturas, como meniscos, ligamentos e
principalmente dos músculos. Além disso, o alinhamento do joelho tem grande
influência nessa estabilidade e na vulnerabilidade para lesões.

Uma pesquisa realizada pela Pés Sem Dor em 2017 observou que, em torno
de 69% dos brasileiros acima de 18 anos sentem dores na articulação do joelho.
Dentre as mulheres, o índice de dor é maior do que nos homens. Enquanto 70,5%
do público feminino revela ter dores na região, 65% dos entrevistados masculinos
disseram sentir desconfortos nesse local. Outro dado interessante é o alto grau
de correlação entre a dor no joelho e o elevado índice de massa corporal (IMC)
dos entrevistados.

 

DIAGNÓSTICOS RELACIONADOS


CAUSAS DA DOR NO JOELHO

Desalinhamento articular
Uma das principais causas de lesão no joelho é o desalinhamento da articulação. Um joelho com o alinhamento normal tem uma boa distribuição de carga entre o fêmur e a tíbia. Além disso, ele mantém um bom espaçamento entre todas as estruturas. Podemos classificar o desalinhamento do joelho em dois tipos: o valgo e o varo. No primeiro caso, os joelhos estão para dentro e há uma descarga maior no menisco lateral. Já no segundo, os joelhos ficam mais separados e a descarga de peso é muito maior no menisco medial. O aumento de carga, devido a compressão de certas estruturas e o estiramento de outras, aumenta as chances de lesão.

Imagem ilustrativa sobre joelho valgo.

Sedentarismo
Além de estimular o aumento de peso, que sobrecarrega o joelho, o sedentarismo enfraquece a musculatura e instabiliza a articulação. Uma musculatura forte e flexível protege a articulação e ajuda a mantê-la no posicionamento correto, absorvendo as sobrecargas.

Excesso de carga
Treinos e atividades esportivas de alto impacto e intensidade aumentam o risco de lesão e desgaste antecipado das cartilagens articulares. Os treinos devem ser progressivos, com aumento gradual de carga e intensidade, para que as estruturas do joelho se preparem aos poucos. Importante lembrar dos períodos de recuperação: atletas de alta performance que precisam treinar muito e não respeitam essa fase sofrem com o desgaste precoce das articulações.

Traumas prévios
Fraturas, lesões ligamentares e meniscais sem tratamento adequado enfraquecem a musculatura, deixam os joelhos mais suscetíveis a novas lesões e podem acelerar o processo de desgaste.

 

Principais patologias que afetam o joelho
Existem diversos motivos que podem levar a dor na região do joelho. Eles, normalmente, variam de acordo com a faixa etária das pessoas. Dependendo da região de dor, diferentes estruturas podem estar danificadas. Veja abaixo as lesões mais comuns do joelho:

Síndrome da dor patelofemoral
É o desgaste da cartilagem da patela. Essa síndrome gera dor na parte da frente do joelho, entre a patela e o fêmur, e piora com a prática de exercício físico. Ela afeta principalmente adolescentes e jovens adultos do sexo feminino. Além disso, a doença é multifatorial; ou seja, existem várias causas para seu desenvolvimento. Dentre elas, as que mais afetam o joelho são: desalinhamento durante o movimento, desalinhamento ósseo, pronação excessiva dos pés e a sobrecarga articular.

Apofisite tibial (lesão de Osgood-Schlatter)
É a inflamação da região anterior da tíbia (lugar em que o tendão patelar está inserido).
Atinge crianças entre os 12 e 15 anos, devido ao estirão de crescimento. Nessa fase, o tendão inflama porque a tensão no tecido aumenta por conta do rápido crescimento ósseo, o que gera dor e inchaço.

Tendinite patelar (Joelho do Saltador)
A inflamação do tendão patelar é bem comum em quem pratica esporte que envolva saltos e pouso repetidos, aceleração e desaceleração rápidas e chutes, tais como: basquete, vôlei, futebol, tênis, salto em altura e esgrima. Esses esportes demandam movimentos bruscos, que geram muita tração sobre o tendão e impulsionam a inflamação. Os sintomas mais comuns são: dor no corpo do tendão, aumento de espessura, inchaço e dores que melhoram com a diminuição da atividade.

O que é Condromalácia Patelar

O joelho é uma das articulaçoes mais instáveis

Lesão do menisco
No joelho existem 2 meniscos (lateral e medial) – estrutura cartilaginosa posicionada entre o fêmur e a tíbia. Essas estruturas são responsáveis por melhorar o encaixe entre os dois ossos. A lesão do menisco acontece, geralmente, quando o pé está firme no chão e alguma força intensa provoca a rotação do joelho. As dores aparecem na parte da frente da articulação e na lateral do menisco lesado, normalmente com inchaço e dificuldade de flexionar o joelho.

Ruptura ligamentar
Os ligamentos são tecidos fibrosos que ajudam a estabilizar a articulação do joelho. Nela, existem quatro ligamentos: o cruzado anterior (LCA), o cruzado posterior (LCP), o colateral medial (LCM) e o colateral lateral (LCL). Quando há ruptura de algum desses ligamentos, além da dor e edema, pode-se sentir instabilidade articular.

Cisto poplíteo (Cisto de Baker)
É um acúmulo de líquido em uma estrutura localizada na parte posterior do joelho. Nos adultos, o cisto causa uma sensação de pressão na região e dor, pincipalmente quando se estende o joelho e durante a prática de atividade física. Alguns estudos mostram que as queixas estão, normalmente, relacionadas às patologias associadas ao cisto (osteoartrite e lesão meniscal, por exemplo).

Tendinite Anseina (Pata de ganso)
É a inflamação dos tendões dos músculos grácil, sartório e semitendinoso, que se localizam na parte interna do joelho. Eles ajudam na flexão do joelho e têm uma influência secundária na rotação interna da tíbia, estabilizando o joelho contra um desalinhamento para dentro e rotações. Caso o joelho esteja desalinhando para dentro durante o movimento, a tração no tendão ficará mais intensa, estimulando a inflamação.

Osteoartrite
A osteoartrite, também conhecida como artrose ou osteoartrose, é uma doença degenerativa e progressiva que atinge as articulações. Ela é provocada pelo aumento de atrito na articulação, que leva à destruição da cartilagem e, em fases mais avançadas, à deformidade óssea. A dor é o principal sintoma e geralmente vem acompanhada da redução da mobilidade articular e perda de força. Leia mais em Artrose.

Bursite
As bursas são pequenas bolsas cheias de líquido que reduzem o atrito entre os ossos, músculos, tendões ou ligamentos. Existe uma infinidade delas no corpo. O joelho contém várias bursas por conta das inúmeras estruturas próximas. Porém, frequentemente elas inflamam – fator que gera a bursite. Os sintomas são: dor e inchaço, sendo que é comum sentir um pequeno nódulo na região.

 

PREVENÇÃO E TRATAMENTO PARA DOR NO JOELHO

Cada tipo de lesão segue um tratamento específico. Em casos mais graves, com ruptura de tecido, pode ser necessária a cirurgia. Em lesões menos extensas e mais crônicas, algumas ações podem ser tomadas para melhorar as dores já existentes e, principalmente, para prevenir o agravamento da lesão ou o surgimento de novas dores.

Regular atividade física e peso: diminuir a carga sobre articulação afetada deve ser a primeira medida a ser tomada. A maneira mais fácil para aliviar os joelhos é baixar o peso e reduzir o número de horas em pé ou de treino. Lembrando que o objetivo não é parar de praticar a atividade, mas sim estimular a pratica sem agredir o organismo;

Correção biomecânica: corrigir o alinhamento articular é muito importante para evitar as sobrecargas das estruturas do joelho. O joelho em valgo (para dentro) ou em varo (para fora) pioram o encaixe entre os ossos, podendo levar a um aumento de pressão, tração ou atrito articular;

Estimulação elétrica neuromuscular (EENM): um recurso bem utilizado para fortalecer a musculatura é a estimulação elétrica neuromuscular (EENM). Através de aparelhos que impulsionam a contração dos músculos, ela pode ser utilizada para evitar a perda de massa do tecido. Quando a imobilização do joelho for necessária, e quando associado com a contração voluntária do músculo, essa técnica potencializa o ganho de força.

Crioterapia: a aplicação de gelo é um recurso bastante utilizado para alívio de dor. O efeito analgésico e anti-inflamatório, combinado ao seu fácil acesso, fazem do gelo um dos recursos mais utilizados para amenizar o desconforto;

Knesio taping: também conhecida como bandagem elástica adesiva, o knesio taping é uma das técnicas fisioterapêuticas favoritas dos praticantes de atividade física. Dependendo da maneira como é aplicada, ela pode alinhar e estabilizar as articulações sem restringir o movimento;

Joelheira: a joelheira é um equipamento que ajuda a estabilizar melhor a articulação do joelho. Ela pode ser usada durante as atividades físicas ou até mesmo ao longo do dia. É importante verificar a compressão que ela está causando, para não prejudicar a circulação local, pois isso pode aumentar a dor;

Palmilhas ortopédicas: as palmilhas são muito utilizadas para tratar as dores no joelho. Alguns fatores explicam o porquê de serem as principais soluções para o desconforto, como a capacidade de auxiliar o alinhamento articular, melhorar o amortecimento da pisada nos pés e evitar a sobrecarga dos joelhos;

PRP (Plasma Rico em Plaquetas): é a aplicação de um líquido extraído do sangue, com alta concentração de plaqueta (células de cicatrização), dentro da articulação do joelho. Essa técnica invasiva só pode ser realizada por médicos e tem sido altamente utilizada para o tratamento de dor no joelho;

Infiltração: é um procedimento médico que consiste na aplicação de corticosteroide, anestésicos ou ácido hialurônico para tratar lesões, inflamações ou reduzir a dor. Seu efeito é, muitas vezes, imediato. Porém alguns estudos revelam a degradação das estruturas do joelho em pacientes que utilizam o método de forma recorrente;

Cirurgia: há uma infinidade de cirurgias que podem ser realizadas no joelho. Existem cirurgias minimamente incisivas, como a artroscopia, por exemplo, que é uma cirurgia com auxílio de uma micro câmera inserida dentro da articulação. Outro tipo é a artroplastia, em que há substituição articular por uma prótese ortopédica.

 

PALMILHAS PÉS SEM DOR PARA DOR NO JOELHO

A palmilha Pés Sem Dor proporciona o realinhamento dos pés e tornozelos através de cunhas laterais corretoras e, consequentemente, evita o desalinhamento nos joelhos. Além disso, promove um maior amortecimento pois redistribui as pressões de maneira mais eficiente nos pés e tornozelos, diminuindo o impacto que chegará nos joelhos.

Quanto melhor for o alinhamento e acomodação dos pés no calçado, menor será a sobrecarga nos joelhos. Para proporcionar este encaixe ideal, a Pés Sem Dor desenvolveu uma avaliação com instrumentos de alta tecnologia para produzir uma palmilha de qualidade.

Palmilha Pés Sem Dor

Durante a avaliação, são feitas perguntas pessoais e relacionadas ao início da dor. Elas são seguidas de palpação para identificar a região exata do incomodo. Posteriormente, serão realizados exames no baropodometro (equipamento que avalia a distribuição de pressão nos pés e o alinhamento da pisada) e no scanner 3D (aparelho que mede as dimensões do pé). Esses equipamentos fornecerão dados importantes para que a palmilha encaixe perfeitamente, o que mantêm o pé alinhado durante a caminhada.

 

CALÇADOS

De maneira geral, deve optar sempre por calçados de maior amortecimento para evitar as sobrecargas. Sabe-se que sapatos de salto alto modificam a biomecânica da pisada e deixam o joelho com maior pressão articular, podendo agravar as lesões existentes ou gerar novas inflamações. Além disso, o salto alto deixa o pé mais instável, aumentando o risco de desalinhamento do joelho.

Para as mulheres que precisam utilizar sapatos sociais para o trabalho, é fundamental usar sapatilhas confortáveis durante os picos de dor. Os homens podem procurar sapatos sociais com solados de maior amortecimento. É preciso estar atento ao desgaste dos calçados, pois eles podem ser um dos motivos provocadores do desalinhamento articular do joelho.

 

ESPORTES

Algumas pesquisas mostram que cerca de 55% das lesões esportivas estão relacionadas com o joelho. A taxa pode variar de acordo com o esporte praticado, devido aos movimentos específicos realizados em cada atividade. A presença de lesões, normalmente, está relacionada com o overtraning (excesso de carga de treino), principalmente nas patologias como a tendinite patelar e as dores patelofemurais.

É recomendado que toda prática de exercício físico seja devidamente assistida. O suporte de um treinador é fundamental para prevenir as lesões. Acredita-se que grande parte delas poderiam ser evitadas através da correção do gesto esportivo e da preparação muscular ideal. Treinos progressivos são indispensáveis quando se inicia um novo esporte.

Antes de começar qualquer atividade, lembre-se de realizar o aquecimento. Aumentar o fluxo sanguíneo para os músculos que serão utilizados ajuda a ativar a musculatura, deixando-a mais preparada para o trabalho. Com a musculatura mais disposta, as articulações ficam mais protegidas das instabilidades e desalinhamentos. Desaquecer também é importante para a recuperação muscular, pois ajuda a limpar o acúmulo de ácido lático – substância causadora de dor muscular que é produzida pelo corpo quando há um esforço excessivo.

 

DICAS E CURIOSIDADES

As orientações vão depender da causa da dor. Mas, de maneira geral, algumas medidas podem ser tomadas, a fim de amenizar os incômodos e evitar novas lesões. Veja abaixo:

Aplicação de gelo
O gelo deve ser utilizado quando a dor for mais intensa e aumento de temperatura local. Apesar do gelo não resolver o problema causador da lesão, sua aplicação por 15 a 20 minutos gera o alívio imediato da dor;

Repouso
A dor é um alerta sensorial enviado pelo nosso corpo para nos avisar que algo está errado, por isso não deve ser negligenciado. Reduzir as atividades durante os episódios de dor é importante, não só para permitir que o corpo se recupere, mas também para evitar novas lesões. Durante as fases de dor, nosso corpo pode assumir posturas para tentar se proteger e, consequentemente, ocasionar um desalinhamento articular prejudicial.

 

Para fortalecimento muscular
Manter a musculatura das pernas fortes e flexíveis ajuda a proteger a articulação do joelho, pois ela ficará mais estável, evitando o desgaste entre as estruturas. Veja abaixo alguns exercícios para proteger-se de lesões:

Bola entre os joelhos
Sentado, posicione uma bola (mais ou menos 20 cm de diâmetro) entre os joelhos. Aperte-a e segure a pressão por 10 segundos. Solte lentamente e repita o exercício. Realize 3 séries de 10 repetições, 3 vezes por semana;

Extensão de joelho
Sentado em uma cadeira, estique o joelho elevando o pé até que toda perna fique alinhada. Volte para a posição inicial lentamente, sem deixar o pé cair. Faça o exercício com um pé de cada vez. Realize 3 séries de 10 repetições com cada joelho, 3 vezes por semana;

Agachamento
Comece sentado em uma cadeira com os joelhos levemente afastados, incline o corpo para frente e levante. Sente lentamente e repita o movimento. Preste atenção para que, durante o movimento, o joelho não desvie para dentro. Realize 3 séries de 10 repetições, 3 vezes por semana;

Ponte
Deitado de barriga para cima com os braços apoiados na lateral do corpo, dobre os joelhos e apoie os pés no chão. Eleve o tronco mantendo a coluna e a pelve alinhada com os joelhos. Mantenha-se nessa posição durante 10 segundos e depois desça, lentamente, para posição original. Preste atenção para que os joelhos não desviem para dentro ou para fora durante o movimento. Realize 3 séries de 10 repetições, 3 vezes por semana;

Lembre-se que toda dor deve ser cuidada e diagnosticada corretamente. Sempre que o incômodo for persistente, procure um especialista para que ele possa indicar o melhor tratamento.

Para saber mais sobre dor no joelho, assista ao vídeo: