Disque 4003-8033   ou

Neuroma de Morton

O neuroma de Morton é um espessamento do nervo que vai até os dedos do pé, mais conhecido como nervo interdigital. Normalmente ocorre na base do terceiro e do quarto dedo, devido a compressão desse tecido pela cabeça dos ossos do metatarso. Os principais sinais da lesão são: dor em queimação, dormência e choque na região.

A compressão recorrente do nervo interdigital causa um crescimento desordenado das células. Quando o nervo aumenta de tamanho, ele piora ainda mais a compressão, causando mais incômodo. O crescimento nervoso também pode provocar a sensação de que se está pisando sobre uma bola de gude, principalmente quando se utiliza sapatos de bico fino ou salto alto, que aumentam a pressão na parte da frente dos pés.

Neuroma de Morton Tratamento

 

CAUSAS DO NEUROMA DE MORTON

Os principais fatores que provocam o neuroma de Morton estão relacionados a altas pressões depositadas na parte da frente do pé durante a passada ou à compressão lateral dos dedos e dos ossos da ponta do pé. Essa compressão pode ser decorrente de atividades de alto impacto, alterações anatômicas ou calçados inadequados. Veja a seguir alguns exemplos de fatores de risco:

Deformidade
Algumas alterações estruturais dos pés também aumentam a probabilidade de ocorrer o neuroma de Morton. A diminuição na área de apoio dos pés, nesses casos, aumenta a sobrecarga imposta sobre os metatarsos.

– Pé equino: situação patológica na qual a pessoa anda sempre na ponta do pé;

– Dedos em garra e martelo: deformidade que ocorre devido à contração permanente dos dedos;

– Joanete: desvio do primeiro dedo em direção aos outros.

Traumas na região
Qualquer lesão na região pode levar ao inchaço. E o acúmulo de líquido pode comprimir o nervo e aumentar a pressão local. As fraturas com má consolidação óssea também podem causar desvios estruturais, prejudicando o espaçamento ósseo e levando à compressão de estruturas nervosas. Dessa forma, a diminuição do espaço aumenta as chances de gerar um neuroma próximo à região atingida.

Atividades de alto impacto
Exercícios que utilizam mais a parte da frente dos pés podem acelerar o desenvolvimento do neuroma de Morton. Geralmente, corredores de velocidade são mais atingidos, devido ao movimento repetitivo de impulsão que força mais essa região do pé. Os dançarinos também tendem a sobrecarregar essa mesma região, pois utilizam as pontas dos pés para realizar diversos movimentos. Dentro deste grupo, os bailarinos são os mais afetados, por causa do uso das sapatilhas de ponta.

Sapatos inadequados
A utilização de sapatos apertados e de salto alto pode interferir negativamente na saúde dos nossos pés. Tanto o sapato de salto alto quanto o de bico fino alteram o posicionamento do pé em relação ao solo, e pioram a distribuição e o amortecimento do peso corporal durante a caminhada. Os sapatos de bico fino comprimem os dedos, fazendo com que o espaço por onde passa os nervos e os vasos sanguíneos sejam diminuídos. No caso do salto, a menor área para distribuição do peso sobre os pés faz com que grande parte da carga seja redirecionada para a região da frente, aumentando a pressão no local e piorando ainda mais o espaçamento entre os metatarsos (ossos na região anterior do pé).

Salto alto

Posição da estrutura óssea ao usar salto alto

 

Peso
O ganho de massa corporal também pode aumentar as chances de compressão do nervo próximo aos dedos, pois todo o pé fica sobrecarregado. Dessa forma, elevar a pressão na parte frontal dos pés pode diminuir o espaço entre as estruturas da região e provocar um processo inflamatório.

 

SINAIS E SINTOMAS DE NEUROMA DE MORTON

O neuroma de Morton é frequentemente confundido com a metartasalgia. Isso porque nas duas lesões a dor atinge o mesmo local: a parte frontal dos pés. Geralmente as dores começam passageiras e melhoram ao repousar, característica que está ligada à metartasalgia. Quando os fatores que originam essas dores não são tratados, pode acontecer um espessamento do nervo devido a inflamação, o que caracteriza o neuroma de Morton.

O espessamento, quando no início, pode ser identificado por exames de imagem, como ultrassom e ressonância magnética. A medida que o neuroma aumenta, pode-se palpá-lo entre os ossos que estão localizados na base dos dedos (metatarsos). Nessa fase muitas pessoas sentem como se tivesse uma pequena pedra no local, principalmente quando apoiam a ponta do pé no chão. Com a evolução da doença, as dores tendem a ser mais frequentes e intensas, podendo apresentar também choque, formigamento e perda de sensibilidade nos dedos.

Tais sintomas são decorrentes da compressão do tecido nervoso, responsável por transmitir informações sensoriais ao corpo. Esses sinais ajudam a diferenciar clinicamente a metatarsalgia de um neuroma. Uma maneira simples de detectar o espessamento do nervo é realizar a palpação na região dolorida em busca de algum nódulo ou comprimir a parte da frente do pé e ver se há sensação de choque, dormência ou formigamento.

 

PREVENÇÃO E TRATAMENTO PARA NEUROMA DE MORTON

Para prevenir o aparecimento do neuroma, a pessoa precisa mudar alguns hábitos e reduzir os fatores de risco, como usar calçados mais largos e confortáveis. Se for diagnosticada a doença, recomenda-se procurar um tratamento especializado com um médico e fisioterapeuta para melhorar os sintomas. Apesar do neuroma persistir em alguns casos, o tratamento conservador pode gerar um alívio completo dos sintomas, evitando a necessidade de uma cirurgia. Os principais tratamentos são:

Reeducação pessoal
A parte mais importante do tratamento conservador é a conscientização sobre o problema. Entender os principais motivos das dores é fundamental para eliminá-las. Assim, a própria pessoa vai ser capaz de evitar exercícios prejudiciais, como pular corda e correr na ponta dos pés, e escolher outras atividades menos danosas, que não comprimem os dedos e não pressionam excessivamente a região frontal do pé. Ela também saberá escolher melhor os calçados, evitando o uso constante de sapatos de bico fino e salto alto.

Correção de movimentos
Caso a marcha esteja sendo realizada de maneira incorreta, e algum movimento esteja prejudicando o corpo, pode-se corrigir esses problemas através de exercícios. Esse tipo de complicação acontece com as pessoas que andam na ponta dos pés por costume. Ensinar qual o movimento correto para melhor a absorção de energia, sem sobrecarregar a frente do pé, é fundamental para evitar a formação de um neuroma.

Elevação na região dos metatarsos
Posicionada próxima a região de dor, a elevação ajuda a melhorar o espaçamento entre os ossos que comprimem o nervo afetado. Essas estruturas podem ser feitas de várias maneiras e com diferentes materiais. Entre as mais comuns estão as de silicone, que parecem almofadinhas produzidas para serem inseridas na região. Porém elas podem se movimentar durante a caminhada e causar mais desconforto. Essa elevação pode ser feita em palmilhas ortopédicas, que ficam melhor posicionadas nos pés.

Palmilhas ortopédicas
Estudos feitos com palmilhas personalizadas mostram que ao fornecer maior área de contato para os pés, diminui-se os picos de pressão que tendem a atingir o calcanhar e os metatarsos. As palmilhas ortopédicas, diferentemente das convencionais, possuem curvaturas para fornecer apoio na região do meio do pé. Assim, são capazes de redistribuir as cargas sobre os pés, diminuindo a probabilidade de dores e lesões.

Mobilização dos metatarsos
É uma massagem realizada na região dos metatarsos para relaxar a musculatura do pé, diminuir a tensão e melhorar o posicionamento das estruturas da parte da frente dos pés. Dessa forma, melhora-se o espaçamento entre os ossos da parte anterior dos pés e diminui-se a compressão do nervo interdigital.

Infiltrações
Caso o tratamento conservador não melhore, pode-se optar por injeções para aliviar a dor na região do neuroma, com corticoide ou álcool. O primeiro é um anti-inflamatório que ajuda a diminuir a dor e a controlar a inflamação do nervo. Já o segundo é utilizado para evitar a sua expansão, causando uma pequena destruição do tecido. Pode-se também fazer uma combinação de substâncias para obter um resultado melhor.

 

PALMILHAS PÉS SEM DOR® PARA NEUROMA DE MORTON

O neuroma de Morton causa fortes dores na região dos metatarsos (ponta do pé) e pode ainda proporcionar formigamento e choque nos pés e nos dedos. Isso acontece porque essa lesão no nervo passa entre os ossos da frente do pé, e está associada à hiperpressão na região. Esse excesso de tensão pode ser causado pelo tipo de calçado ou pela maneira de andar, que prejudica a distribuição de peso sobre os pés.

A Pés Sem Dor desenvolve palmilhas feitas sob medida, que redistribuem para o pé inteiro a pressão que estava concentrada sobre os metatarsos. Isso só é possível por conta dos equipamentos de última tecnologia, tanto na elaboração do desenho quanto na produção da palmilha.

Palmilha Pés Sem Dor

Palmilhas sob medida para neuroma de Morton

 

Para isso, utilizamos aparelhos de escaneamento do pé e impressoras 3D para dar maior encaixe entre essa estrutura e a palmilha. Assim, com apoio do arco e o alinhamento dos pés, garantimos que o peso do corpo será distribuído por toda a estrutura, evitando hiperpressão sobre uma determinada região. Além disso, utilizamos o baropodometro durante a avaliação, um aparelho que mede a pressão sobre os pés, facilitando a identificação do motivo da dor.

As palmilhas Pés Sem Dor para tratamento de neuroma de Morton possuem, além do apoio de arco, uma correção chamada piloto, que é uma sutil elevação na região dos metatarsos. Esse piloto tem a função de reposicionar os metatarsos, aumentando o espaçamento entre eles. Dessa forma, alivia-se a compressão sobre o nervo inflamado.

As palmilhas, depois de fabricadas, são ideais para o pé de cada um. Elas fornecem conforto, satisfação e evitam qualquer dor que venha atingir nossos pés.

 

CIRURGIA PARA NEUROMA DE MORTON

Em último caso, quando os tratamentos conservadores e menos invasivos não resolveram as dores, a cirurgia pode ser necessária. Existem dois métodos cirúrgicos que são mais utilizados nesses casos. Veja abaixo:

– Descompressão: as estruturas ao redor do nervo são reposicionadas ou cortadas para aumentar o espaçamento entre um metatarso e outro;

– Ressecção: retira-se a parte inflamada do nervo. Apesar de não ser considerada tão arriscada, essa cirurgia pode deixar os dedos sem sensibilidade, por isso é evitada.

Imagem ilustrativa mostrando como é feita a cirurgia de retirada do neuroma de Morton

Cirurgia para neuroma de Morton

 

Além de ser mais invasiva, a cirurgia nem sempre melhora os sintomas. Existem casos em que esse procedimento aumenta a irritação no local. Por isso, ela deve ser sempre evitada.

 

CALÇADOS

O sapato mais adequedo para quem tem neuroma de Morton é aquele que possui a parte da frente larga e sem salto, para que a sobrecarga e a compressão na região anterior sejam evitadas. Esses tipos de sapatos são geralmente pouco atrativos, principalmente para pessoas que utilizam sapatos sociais e mulheres que gostam de salto alto.

Os sapatos de salto modificam o posicionamento dos nossos pés, alem de, geralmente, terem as pontas mais estreitas. Dessa forma, eles fazem com que o peso do corpo seja reposicionado na região anterior dos pés e que os dedos sejam comprimidos, assim como os nervos da região.

Quando a mudança para sapatos mais largos e com amortecimento não for o suficiente, utilizar palmilhas pode ser uma boa solução. Elas ajudam a redistribuir a pressão, evitando o acúmulo sobre a região de dor, e reposicionam os metatarsos para melhorar o espaçamento entre eles.

 

ESPORTES

Pelo seu caráter principalmente mecânico de desenvolvimento, relacionado com a compressão do nervo, o neuroma de morton é mais frequente em corredores e bailarinos. Isso porque esses atletas participam de atividades que incluem alta pressão na ponta dos pés e muitas vezes uilizam tenis e sapatilhas que não são adequados para a prática esportiva.

Além disso, atletas tendem a dar menos importância às dores e desconfortos sentidos durante os treinos e competições. Consequentemente, quando procuram um especialista, o neuroma já está presente e mais dilatado.

 

DICAS E CURIOSIDADES

Aconselha-se sempre procurar um especialista para que o diagnóstico seja correto e o tratamento mais adequado. Entretanto, existem algumas dicas que podem ajudar a melhorar os incômodos nessa região dos pés.

Sapatos
A primeira medida a ser tomada em casos de Neuroma de Morton é a troca de calçados de bico fino e salto para calçados mais baixos e com a parte da frente mais larga. Além disso, a utilização de calçados com um melhor amortecimento e de tecido maleável também podem ajudar.

Gelo
Colocar gelo sobre a região de dor ajuda a aliviar a sensação de incômodo e a controlar a inflamação. A aplicação pode ser feita com uma bolsa de gelo enrolada em uma toalha fina sobre a região de dor ou com imersão da parte da frente do pé em um balde de água bem gelado, durante 15 a 20 mim.

Massagem
Massagear a área da frente dos pés ajuda a relaxar a musculatura da região, diminuindo a rigidez dos tecidos e amenizando a compressão do neuroma. Veja alguns movimentos que podem ser feitos combinados para ajudar no relaxamento dos pés:

– Com a mão fechada, deslize os dedos sobre a sola do pé algumas vezes, aplicando uma leve pressão;

– Segure o dedinho e gire-o para dentro e para fora 5 vezes. Faça o mesmo movimento com os outros dedos;

– Com a mão, realize pressões circulares por toda a região dos metatarsos (frente dos pés);

– Na região frontal dos pés, segure um dos metatarsos com uma mão e o metatarso vizinho com a outra. Realize movimentos empurrando uma mão para cima e outra para baixo;

– Utilize uma bolinha de tênis para ajudar a massagear a sola do pé. Basta pisar sobre ela e realizar movimentos, sem deixar que a bola escape.

Mudança de esporte
A prática esportiva nunca deve ser evita, pois ela ajuda na manutenção da saúde e qualidade de vida. Mas, caso o neuroma comece a incomodar, é importante buscar um bom tratamento para evitar que outros nervos sejam atingidos. Adaptar a atividade física é o melhor a se fazer. Utilizar palmilhas durante o esporte evita que a região anterior seja sobrecarregada. Nesses casos, recomenda-se escolher atividades físicas que não impactam tanto os pés. Veja algumas ideias abaixo:

– Natação: é um ótimo exercício pois trabalha o corpo inteiro, tanto a parte aeróbica de resistência quanto pode-se trabalhar o fortalecimento muscular com aparelhos que aumentam a resistência muscular. Fortalece bastante a musculatura das pernas e pés, sem tanto impacto sobre a sola do pé;

– Remo: existem hoje aparelhos que simulam o remo, sem a necessidade de uma área com água e barco. O exercício é muito benéfico na reabilitação de clientes que sofrem de problemas nos pés e gostam de correr. Pois o remo ajuda a manter o condicionamento aeróbico e a massa muscular das pernas;

– Yoga: é uma filosofia oriental que trabalha a saúde do corpo e da mente. Por trabalhar posições em que o corpo fica parado, ajuda a melhorar a força muscular, flexibilidade e o equilíbrio do praticante. Sem que seja necessária a descarga excessiva sobre os pés.

Fortalecimento
Apesar de muitas vezes esquecido, a musculatura do pé é importante para manter a estrutura do pé funcionando de forma efetiva. O seu fortalecimento melhora a posição dos metatarsos, diminuindo a compressão do nervo. Para isso pode se fazer um exercício bem simples, que é pegar objetos (caneta ou pano) do chão com os pés e segura-los firma durante 15 segundos.

 

Para saber mais sobre neuroma de Morton, assista o vídeo abaixo: